terça-feira, 17 de novembro de 2015

Exército brasileiro possui munição para menos de uma hora de guerra, afirma general

Em tempos de ações de combate ao Estado Islâmico pela coalização liderada pelos Estados Unidos e a participação de variados países, uma pergunta tira o sono dos brasileiros: E o nosso Exército, estaria preparado para uma guerra? A resposta é não. "Posso afirmar que possuímos munição para menos de uma hora de combate", disse o general na reserva Maynard Marques de Santa Rosa, ex-secretário de Política, Estratégia e Assuntos Internacionais do Ministério da Defesa. Os fuzis utilizados pelo Exército são do modelo FAL, que a empresa brasileira Imbel fabrica há 45 anos, e mais de 120 mil unidades têm mais de 30 anos de uso.
O general Carlos Alberto Pinto Silva, ex-chefe do Comando de Operações Terrestres (Coter), acrescentou que a quantidade de munição "sempre foi mínima".
Exército brasileiro possui munição para menos de uma hora de guerra"Nossa artilharia, carros de combate e grande parte do armamento foram comprados nas décadas de 70 e 80. Existe a ideia errônea que não há ameaça, mas se ela surgisse não daria tempo de reagir", acrescentou.
Nos últimos 10 anos, o Brasil investiu em Defesa 1,5% do PIB, segundo dados do Ministério e este ano, o Exército receberá R$ 28 bilhões, dos quais 90% são destinados a salários. 
GP1