segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Quebradeiras de Coco lançarão campanha "Babaçu Livre" no Piauí

A Associação do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu lançará, em 2016, uma campanha para aprovar a Lei Babaçu Livre no Estado. As quebradeiras de coco querem uma audiência com o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), para discutir o projeto. 
A Lei Babaçu Livre prevê que as quebradeiras de coco tenham livre acesso aos babaçuais, inclusive em propriedades privadas, e também proíbe a derrubada das plantas.
"Já existe um projeto de lei no Tocantins e também em alguns municípios. O que queremos é que as quebradeiras possam entrar nessas propriedades sem precisar pedir para o dono, ou sem entrar escondido", explica a representante do movimento, Ariana Gomes da Silva.




As quebradeiras de coco estão presentes em quatro Estados do Nordeste - Piauí, Tocantins, Pará e Maranhão. Elas somam mais de 300 mil mulheres. A atividade é passada de mãe para filha há gerações. No Piauí, as quebradeiras estão concentradas na região de Esperantina e São João do Arraial. 
A monocultura de grande escala é uma das principais ameaças ao babaçu e às quebradeiras. A expansão de áreas de soja e eucalipto na região vem impedindo o acesso aos babaçuais, expulsando agricultores familiares e extrativistas, além de promover o desmatamento, queimadas e envenenamento das palmeiras. 
Foi feito um mapa que destaca o papel fundamental do babaçu no modo de vida de mais de 300 mil mulheres que, organizadas no MIQCB. Elas buscam conservar a espécie e garantir renda para as famílias das comunidades rurais.
Conforme as informações que constam no trabalho, o mapa denunciou que as quebradeiras de coco têm sido vítimas de ameaças de morte, instalação de cercas elétricas, perda e cercamento de fontes de água. 
cidadeverde.com