quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Piauí pode retroceder e voltar para área de risco da Febre Aftosa

Quatro deputados estaduais: Hélio Oliveira (PTC), Luciano Nunes (PSDB), Edson Ferreira (PSD) e Rubem Martins (PSB) ocuparam a tribuna para alertar que o Piauí poderá voltar para risco da Febre Aftosa porque não há cobertura de vacinação pela Agência de Desenvolvimento do Piauí (Adapi). 
Até o momento, só 10% do rebanho foi vacinado, o que ameaça a certificação que o Estado possui e área livre da aftosa. A assembleia está pedindo explicações sobre a falta de agilidade de vacinação como foi feito nos anos anteriores. 
Rubem Martins disse que dessa forma o Piauí pode retroceder, em seis anos de trabalho do combate à doença. “Se essas metas não forem cumpridas, o Piauí volta para o risco médio da febre aftosa, depois de toda a luta que travamos para entrar na área livre há seis anos”, declarou o parlamentar.
 
Já o deputado Hélio Oliveira apresentou um requerimento pedindo ao governo que tome as providências necessárias. O requerimento foi dirigido a Antoniel de Sousa Silva, diretor da Adapi, para liberar a certificação de área livre da aftosa em Parnaíba e assim começou a discussão e chegaram ao número de 10% de vacinação. Os animais 
de Parnaíba estão impossibilitados de participarem da Expoapi. 
Desde 2009, principalmente nos últimos três anos, a vacinação tem variado entre 90% e 95% e por isso o estado estava livre. A certificação é necessária para que os criadores de gado possam vender seu rebanho vivo. 
A preocupação dos parlamentares é que essa falta de certificação é que prejudique a maior Feira Agropecuária do Estado que acontece a partir de domingo(06). 
cidadeverde.com