quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Polêmicas marcam o Levante do Mastro no festejo da padroeira de Buriti dos Lopes

      Seguindo a tradição, uma multidão acompanhou o Levante do Mastro.
O mastro foi levantado sem a benção do padre e com o ‘batismo’ de populares que derramaram litros de cachaças sob o pau. Já por volta das 19h05 quando a missa foi iniciada, o padre Paulo Jorge se dirigiu até o mastro já levantado e benzeu o mesmo.
O dia de terça-feira, 22/12, era pra ser somente de alegria para o povo católico da cidade de Buriti dos Lopes. Mas, não foi isso que se viu na tarde que marcava a abertura dos festejos de Nossa Senhora dos Remédios, padroeira da cidade. Eram 16h30 quando uma multidão trazendo o tradicional mastro chegou em frente a igreja matriz depois de um longo percurso por “varedas” no meio da mata sob um sol escaldante e andar por ruas e avenidas da cidade.
   Uma moradora buritiense subiu até a porta da igreja para protestar.
Ao parar em seu ponto final de longos anos, começou todo o ritual tradicional de colocar a bandeira com a imagem da santa na ponta do mastro e muita dança ao som de uma batucada regada de muita cachaça, tudo repetido como anteriormente.
                      Populares usaram um sistema de som para protestar.
No entanto, as 17h20 quando o locutor da igreja anunciou que o mastro seria levantando, homens e mulheres que saíram desde cedo de suas residências para buscar o mastro se revoltaram porque o padre não apareceu para a tradicional benção e se recusavam a levantar o pau. Em protesto, um grande número de populares iniciou uma gritaria, seguido por dezenas de pessoas.
Antes de ser levantado por populares, alguns populares derramaram cachaça no mastro.
Segundo uma fonte da igreja, o padre não apareceria naquele momento para a tradicional benção sob a alegação de que um trato combinado não teria sido cumprido por parte dos organizadores do levante do mastro. Já os organizadores alegam que não sabiam de nenhum trato.
Depois de muito bate boca entre os organizadores e alguns membros da igreja, enfim por volta das 17h55 o mastro foi levantado sem a benção do padre e com o ‘batismo’ de populares que derramaram litros de cachaças sob o pau, arrancando aplausos de alguns e revolta em outros.

Já por volta das 19h05 quando a missa foi iniciada, o padre Paulo Jorge se dirigiu até o mastro já levantado e benzeu o mesmo, jogando água benta no pau e nos fiéis que assistiam a santa missa. Quase ninguém que foi buscar o mastro viu esse momento. Um grupo que estava um pouco afastado da igreja ainda tentou se aproximar para protestar, mas o padre já não estava mais ao lado do mastro.
O certo é que a polêmica foi criada e muitos comentários tomam de conta das ruas da cidade e das redes sociais. Enquanto isso, aqueles mais antigos rezam para que essa polêmica toda tenha ficado apenas nesse ano e que não se repita nos próximos.
               No início da missa o padre se dirigiu até o mastro para a benção.
          Populares observam o momento que o padre benze o mastro.
   (Portal Boca do Povo)