quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Caso raro: bebê nasce com dois dentes em Colatina no ES

Um bebê de Marilândia, na região Noroeste do Espírito Santo, nasceu com dois dentes, caso considerado raro pelos médicos. Rafaela de Oliveira Alanda nasceu no Hospital São José, em Colatina, no dia 8 de janeiro, com 2,5 kg. A mãe da menina contou que não ficou surpresa, porque ela mesma também nasceu com dois dentes.
O caso é considerado raro e acontece com um em cada 3 mil bebês, segundo os médicos. O pediatra e intensivista Rafael Teixeira Ribeiro, que fez o parto, disse que os dentes não afetam o desenvolvimento. Os médicos ainda não fizeram um raio-x para saber se os dentes deverão ser retirados.
“Na maioria das vezes, 95% é o próprio dente de leite que nasce, sendo que em 85% dos casos o dente nasce na parte inferior. No entanto, o mais comum é que o primeiro dentinho nasça por volta dos seis meses, que é também o momento que a dieta começa a incluir alimentos sólidos”, concluiu o médico.“Precisamos ver se o dente pode gerar alguma consequência, como atrapalhar na amamentação, no ganho de peso e, consequentemente, no desenvolvimento da criança, caso não aconteça ele pode permanecer normalmente na boca”, disse.

O pediatra também explica que o dente pode ser de leite ou não. “Em alguns casos nasce este dente antes do próprio dente de leite. Em relação aos outros que irão nascer, eles não atrapalham a formação”, completou.
Reação
A mãe, Luci Maria de Rodrigues, de 26 anos, contou que quando viu não se assustou, porque o mesmo havia acontecido com ela. “Foi eu que mostrei para o médico, nem fiquei assustada, mas a minha irmã na hora ficou surpresa”, disse.
Para a jovem, pode não ter sido novidade, mas por onde a Rafaela passa chama a atenção. “As pessoas olham, algumas têm medo, outras acham uma gracinha e tem as que ficam surpresas, as reações são diversas no início”.
A mãe também se preocupou em levar Rafaela ao dentista. “Ele apenas ensinou a limpar e fazer a higienização diariamente, nada mais”, falou.
Caso raro
O pediatra Rafael Teixeira Ribeiro explicou também que em Colatina houve um caso parecido em 2015, mas registros como este acontecem em um bebê a cada 3 mil.
Fonte:G1