sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Com 15 anos, garoto é aprovado no vestibular do ITA e comemora

Victor Raniery Silva de Holanda foi aprovado na primeira tentativa do exame.
“Por enquanto eu penso apenas em me dedicar a engenharia e estudar bastante. Não consigo visualizar em que vou trabalhar com certeza, são muitas possibilidades”. É desta forma que Victor Raniery da Silva Holanda, de 15 anos, pensa na carreira. Aluno do Over Colégio e Curso, Victor foi aprovado no vestibular do Instituto de Tecnologia da Aeronáutica (ITA), um dos mais concorridos do Brasil. O resultado foi divulgado nesta quarta-feira (30). A partir de janeiro do próximo ano, o adolescente se muda para São José dos Campos, em São Paulo, onde se apresenta para cursar mecânica-aeronáutica.
Segundo o estudante, o interesse por estudar engenharia surgiu durante uma mostra de profissões, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). “Eles apresentaram as profissões de forma bastante superficial, mas fiquei interessado principalmente por engenharia mecânica. Meu pai então foi pesquisar sobre cursos de engenharia no país e me falou sobre o ITA. Quando vi a qualidade dos laboratórios, do curso e dos profissionais que eles formam, decidiu que ia tentar”, disse.
Quanto a escolha pelo curso de mecânica-aeronáutica, Victor confessa que a inspiração também surgiu a partir de um projeto que conheceu na UFRN. “Eu fiquei interessado pelo projeto ‘carcará’, onde os estudantes constroem aviões e participam de competições. Foi aí que eu decidi por seguir nesse ramo mais específico da engenharia”, explicou.

“Fico muito feliz com esta aprovação porque agora eu sei que não vou precisar gastar muito tempo me dedicando aos estudos para passar no vestibular. Agora poderei me dedicar a engenharia de forma mais tranquila”, concluiu o jovem de 15 anos.
Para concluir o ensino médio e ser aprovado com 15 anos em um dos vestibulares mais concorridos do Brasil, Victor teve uma pequena ajuda da Justiça. O estudante conseguiu o direito de pular o 9º ano do ensino fundamental após ser aprovado na prova do Instituto Federal do Rio Grande do Norte.
De acordo com o pai de Victor, Volney Teixeira de Holanda, o aluno já se destacava no ensino fundamental. “Ele sempre recebeu certificados como aluno destaque na escola, até que quando ele estava no 8º ano do ensino fundamental (antiga 7ª série), ele pediu para fazer a prova para o IFRN e passou”, contou o pai.
Segundo Volney, que trabalha na área jurídica, foi a partir desta aprovação que o filho conseguiu na Justiça o direito de cursar o ensino médio antes de concluir o ensino fundamental. “Entramos com uma ação na Justiça para ele assumir a vaga. Victor teve que fazer uma prova com cerca de 280 questões, salvo engano ele acertou por volta de 260. Foi aí que ele conquistou o certificado e assumiu a vaga”, disse Volney.
O aluno ainda cursou o 1º e o 2º ano do ensino médio no IFRN antes de decidir que queria cursar o ITA. Foi quando o pai decidiu transferí-lo para uma escola particular de Natal. “Ele já fazia cursinho no turno contrário à aula. Quando decidiu que queria o ITA, conversei com o professor dele e resolvi tranferí-lo para a escola para que ele pudesse se preparar”, finalizou.
De acordo com Carlos André, professor e diretor da escola em que Victor concluiu o ensino médio, o esforço e a disciplina do estudante é que o levaram até o resultado alcançado.
“Victor é um aluno muito especial. Ganhou na justiça o direito de pular o nono ano pois era mais avançado que os demais alunos de sua idade. Seu interesse sempre foi a aprovação no ITA então criamos uma estratégia especial para ele alcançar esse objetivo assim que tivesse idade para fazer a prova”, disse Carlos André.
Preparação
De acordo com o estudante, a preparação para a prova foi intensificada nos últimos dois meses. “Como durante a tarde eu tinha aula, eu estudava por conta própria sempre pelas manhãs. Mas faltando dois meses para a prova, sabendo de como ela é concorrida, eu passei a estudar durante às noites. Nos fins de semana estudava de acordo com o que eu achava necessário, ou seja, bastante”, explicou Victor.
Segundo o professor Carlos André, a dedicação de Victor fez a diferença para a aprovação. “Quando ele chegou a escola, nunca tinha assistido a uma aula de física ou de química na vida. Colocamos ele em uma turma do cursinho de Medicina para ele ter uma noção antes de entrar na turma militar. Ele era tão novo que os outros alunos acharam engraçado. Dois meses depois ele já tirava dúvidas dos outros colegas”, relata o professor.
“Ter um aluno aprovado no ITA é sempre muito bom, mas este caso é particular porque é um aluno com apenas 15 anos. A gente sabe que mais de 80% dos alunos que entram no ITA são aprovados pelo menos na segunda tentativa. Não é normal um aluno ser aprovado de primeira e ser com apenas 15 anos é mais incrível ainda. Foi um trabalho ao longo de três anos”, concluiu o professor.
Mudança para SP
Depois de aprovado, Victor tem até 17 de janeiro para se apresentar na sede do ITA, em São José dos Campos, em São Paulo. Segundo o pai de Victor, a família ainda não planejou a mudança do jovem.
“Não estamos nem em Natal, estamos viajando. A euforia é tão grande que nem paramos para pensar nos detalhes. Voltamos para casa na próxima semana e aí é que vamos pensar em como será essa transição. O importante é estarmos lá no dia 17”, disse o pai.
Despreocupado quanto a mudança, Victor apenas falou por alto sobre a mudança. “Eu e meu pai ainda estamos pensando como vai ser. Ele quer ir comigo, porque ainda sou muito novo. Mas ainda vamos decidir isso juntos”, concluiu.
Fonte:  G1 RN