segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Homem raspa cabelo da filha de 12 anos e é preso no Espirito Santo

                                           (Foto: Arquivo Pessoal)
Um comerciante de 53 anos foi denunciado e preso em Jacaraípe, na Serra, Espírito Santo, após raspar a cabeça da filha, uma menina de 12 anos, na noite deste sábado (2). Segundo a mãe da adolescente, uma faxineira de 40 anos, o pai ficou irritado porque a filha havia colorido o cabelo com mechas verdes.
“Ela usou papel crepom para fazer pequenas mechas, por isso deixei. Eu saí de casa para ir à praia com uma amiga e, lá, recebi uma ligação da minha filha mais velha pedindo para eu comprar uma tintura na farmácia para pintar o cabelo da mais nova, senão o pai rasparia a cabeça dela”, disse a faxineira.
Antes que a mãe chegasse à farmácia, ela recebeu outra ligação de que o marido havia usado uma máquina de cortar cabelos para raspar a cabeça da filha.
Quando chegou em casa, a faxineira encontrou a filha dormindo, já sem os cabelos. “Os meus filhos pequenos, de 3 e 5 anos, juntaram os cabelos do chão e disseram para a irmã que iriam colar novamente, por isso guardaram o cabelo cortado”, contou.
Ameaças
O pai não gostou e disse para a menina tirar aa pintura, ameaçando bater nela. Porém, antes que a estudante conseguisse tirar o colorido, ele conseguiu uma máquina de cortar cabelos na casa de um vizinho e ordenou que a filha sentasse na cadeira. Com medo de apanhar, a menina obedeceu e o pai cortou todo o cabelo da estudante.
Imediatamente, a mãe foi ao bar onde o marido estava. “Eu falei com ele que poderia até me matar, mas nunca ter feito aquilo com minha filha”, afirmou a faxineira. Ela chamou a polícia.
Os policiais militares foram à casa e, após serem informados de que no local havia uma arma, localizaram um revólver calibre 38, com munição. O comerciante foi levado para a Delegacia Regional de Serra, onde prestou depoimento.
Ele assumiu que ameaçou bater na filha e que raspou os cabelos dela para educá-la. Sobre a arma, o comerciante disse que a recebeu como pagamento de um cliente do bar pelo que havia consumido no local, mas que pretendia se desfazer do revólver.
O delegado de plantão, David Melo, autuou o comerciante pelo crime de posse ilegal de arma de fogo e por ameaças contra a filha. O suspeito foi conduzido para o Centro de Detenção de Viana
Fonte: G1