quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

PI: Detento comandava crimes pelo celular de dentro de presídio, antes de fugir

Um preso da penitenciária Irmão Guido é suspeito de continuar comandando diversos crimes ainda dentro do sistema prisional. Alaniel Inácio Sousa de Lima, conhecido como Lane, foi um dos fugitivos do presídio no último sábado(16). Lane estava preso por tráfico de drogas, latrocínio e homicídio. 
De acordo com o delegado Danúbio Dias, da Delegacia de Homicídios, a ação foi descoberta por meio de uns arquivos de um celular que estava com o foragido da Casa de Custódia desde setembro, Gutembergue Pereira da Silva, vulgo Magrão, durante uma abordagem policial no início deste mês. Ele não foi preso, mas na fuga deixou o celular cair no chão e o aparelho foi apreendido pela polícia. Assista o vídeo:
A abordagem aconteceu na zona Sul quando suspeitos estariam realizando assaltos em um veículo Cobalt roubado. Na ação, a polícia prendeu Daniel Fernandes e tanto Magrão quanto um terceiro indivíduo fugiram.
A polícia acredita que eles fazem parte de uma organização criminosa. “Nós temos fortes indícios que essas pessoas fazem parte do mesmo grupo e que comandavam crimes de dentro do sistema prisional. Eles já praticaram homicídios, atuavam no tráfico de drogas, praticavam roubos de veículos e de transeuntes”, especifica o delegado. 

Nos arquivos do celular tem várias conversas em áudio e texto pelas redes sociais onde Lane pressiona Gutembergue, vulgo Magrão, a cumprir as missões dadas por ele de dentro da Irmão Guido.
O delegado Danúbio explica que Lane teria emprestado armamento para que Magrão realizar os assaltos em Teresina. 
Gutembergue também teria a ordem de jogar drogas, celulares e baterias de celulares (chamadas de pilhas) para dentro do presídio. 
Além disso, durante a abordagem policial em que Gutembergue fugiu, a polícia apreendeu duas armas que seriam do Lane. Nos áudios do celular, Lane cobra a Magrão as armas (espingarda 12 e um revólver 38) e diz que ele terá que ressarci-lo pela perda das armas, no valor de R$ 5 mil. 
“Se ele não pagar com dinheiro, certamente essa dívida será paga com sangue”, conclui Danúbio Dias. 
Alaniel Inácio fugiu com mais 10 detentos ao fazer um buraco na parede e usar a laje para ter acesso ao muro na Irmão Guido, durante o banho de sol no dia 16. 
cidadeverde.com