quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Irmão de PM é encontrado morto em conjunto habitacional de Parnaíba

O corpo de um homem identificado por César Júnior Lima Firmeza, de 41 anos de idade, foi encontrado nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (25/02) em cima de uma calçada, na lateral de uma residência do conjunto habitacional Colinas do Alvorada II, bairro João XXIII, em Parnaíba, litoral do Piauí. Ele é irmão de um cabo da Polícia Militar.
Segundo a família, o homem teria morrido após sofrer uma crise epilética. Ele morava sozinho e de acordo com o cabo da PM Everardo Lima Firmeza, que era irmão de César Júnior, a combinação da doença, medicamentos de uso controlado e a ingestão frequente de bebida alcoólica pode ter agravado a crise. 
César Júnior Lima Firmeza
“Já me informaram pela manhã quando encontraram o corpo dele na calçada. Ele bebia bastante, tinha problemas epiléticos e tomava remédio controlado. Essa combinação deu no que deu”, lamentou o policial militar. 
De acordo com o Instituto de Criminalística, dentro da casa foram encontrados alguns medicamentos de uso controlado. O perito que esteve realizando os levantamentos no local descartou a possibilidade de crime violento. 
“Não há sinais periféricos próximo ao pescoço, não há sinais de defesa visíveis nas mãos e nem nos pés. O corpo está apresentando uma rigidez praticamente completa, o que já determina uma causa natural de morte. O horário possivelmente tenha sido pela madrugada. Os relatos da família já indicam que ele era uma pessoa que costumava misturar álcool com medicamentos”, explicou o perito criminal Frederico Augusto. 
O corpo foi removido para o posto avançado do Instituto Médico Legal de Parnaíba, localizado no bairro Frei Higino. 
Já matou um irmão (Reveja a matéria)
César Júnior chegou a ser preso em janeiro de 2012 acusado de ter assassinado a facadas um irmão. Na época ele chegou a cumprir pena na Penitenciária Mista de Parnaíba.
Perito Criminal Frederico Augusto, diretor do Instituto de Criminalística de Parnaíba. (Foto: João Júnior / Rede Meio Norte)
Fonte: Kairo Amaral
Meio Norte