sábado, 13 de fevereiro de 2016

Mesmo decretada a ilegalidade, enfermeiros mantém a greve

O Sindicato dos enfermeiros do Piauí informou que a greve da categoria continua mesmo após o decreto de ilegalidade do Desembargador Erivan Lopes, do Tribunal de Justiça do Piauí. 
De acordo com Francisco Alex, diretor jurídico do Senatepi, o sindicato vai assumir o valor das multas diárias previstos na decisão.
Ainda segundo o diretor, a greve continua por tempo indeterminado. “Independente da decisão do desembargador a greve continua. O motivo da greve é uma negociação com o gestor. Enquanto os profissionais de enfermagem não forem atendidos pelo governo do Estado, a greve continua. Foi deliberada em assembleia geral”, explicou Francisco Alex.
Ontem (11), o Desembargador do TJ-PI determinou que o movimento fosse suspenso imediatamente após o decreto, independente da deliberação em assembleia. Caso a decisão não for acatada pelos profissionais, eles terão que pagar uma multa diária de R$50 mil pelo descumprimento.
O Sindicato dos Enfermeiros, Auxiliares e Técnicos de Enfermagem do Estado do Piauí (Senatepi), no entanto, afirmou que não voltarão ao trabalho e que o próprio órgão vai arcar com as multas aplicadas durante o período de greve.

Greve
A paralisação dos profissionais de enfermagem foi deflagrada no último dia 04 de fevereiro, às vésperas do carnaval, período onde há o aumento da demanda de atendimentos nos hospitais do Estado.
Hospitais da rede estadual já têm várias cirurgias adiadas por conta da greve. Dentre as reivindicações, os profissionais lutam pelo pagamento por insalubridade e o enquadramento profissional. Além do reajuste anual de acordo com a inflação.
Fonte: Portal O Dia