terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

PRF lança plataforma para registro online de roubos de carro

Sistema Alerta permite que o proprietário do veículo roubado envie informações da ocorrência para mais de 400 blitz da PRF.
A Polícia Rodoviária Federal criou um serviço chamado Alerta, em seu site, para registro de carros roubados ou furtados. Se o veículo foi roubado e o proprietário fizer o cadastro do mesmo no site, um e-mail será enviado para mais de 400 locais de blitz da PRF, além de 480 viaturas que possuem comunicação via satélite.
O Sistema Alerta tem por objetivo divulgar, imediatamente após o registro, informações de ocorrências de roubo e furto de veículos realizados nas últimas 72 horas. A PRF explica que a probabilidade de se recuperar um veículo é maior nas primeiras horas após a ocorrências do fato. Foi pensando nisso que o Sistema Alerta foi desenvolvido.

Caso o furto ou roubo do veículo a ser registrado tenha ocorrido há mais de 72 horas, o proprietário deve verificar, junto à delegacia de polícia onde registrou a ocorrência, se os dados já estão no sistema Renavam, que é a base nacional de ocorrências com mais de 72 horas. A ocorrência, no entanto, permanecerá na base apenas para consultas.
O registro de um alerta no sistema da PRF também pode ser feito por telefone, através do número da Polícia Rodoviária Federa, 191.
O Sistema Alerta
Para fazer o registro da ocorrência de roubo ou furto no Sistema Alerta, o proprietário do veículo deve informar a placa, chassi e ano de fabricação do veículo, sua marca, modelo, cor, tipo (carro, caminhão, caminhonete, carroça, motocicleta, etc.) a espécie do veículo (se é de carga, de competição, de transporte de passageiros, etc.), o Estado e a cidade onde ele foi registrado.
Na aba ‘notificante’, o proprietário deve fornecer informações a seu respeito como nome e meios para contato. Na aba ‘ocorrência’, deve ser relatado os detalhes de como se deu o roubo ou furto do veículo. A PRF lembra que o registro no Sistema Alerta não dispensa o registro da ocorrência na Polícia Civil.
Fonte: PRF