quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Quatro são presos acusados de fraudar cartão do INSS e darem golpes em empréstimos

Uma quadrilha acusada de estelionato foi presa no início da tarde desta terça-feira, 23, em Teresina e União. O grupo agia falsificando documentos para a realização de empréstimos através de um escritório de fachada. Os prejuízos ainda estão sendo calculados pela polícia, que seguirá com as investigações.
A quadrilha estava sendo monitorada há vários meses por uma equipe do serviço de inteligência da Polícia Militar. Em uma ação conjunta com os militares do 5º e 8º BPM, três homens e uma mulher, entre eles pai e filho, foram presos e vários documentos, células de identidade em branco, cartões de banco, computadores, senhas e cartões do INSS, bem como uma moto e dois veículos foram apreendidos.
Dois dos acusados foram presos em um apartamento no bairro Dirceu e outros dois em um escritório na cidade de União, onde a polícia acredita que funcionava a sede do bando.
Os acusados foram identificados como Francisco Paulo Ribeiro, o filho Rodrigo Ribeiro, além de Paulo Reis e Viviane Lopes. De acordo com o major Gilvan, do 8º BPM, o grupo agida de forma organizada abordando idosos e oferecendo empréstimos. Em posse dos documentos, realizavam empréstimos em valores altos e repassavam somente uma parte para a vítima. “Eles assediavam e estimulavam os idosos. Quando morria alguém, pegava os dados da pessoa e faziam os contratos de empréstimos”, relata.

A polícia acredita que há mais gente envolvida e que o grupo aplicava os golpes em diversas cidades do Piauí e do Maranhão. "Já sabemos que agiram em Palmeirais, Gonçalves Dias, União... Mas sabemos que tem mais cidades", destaca o major.
Um dos envolvidos, Francisco Paulo, já responde a processo criminal devido o envolvimento em um assalto a uma agência dos Correios na cidade maranhense de Buriti Bravo. Condenado, o mesmo utilizava uma tornozeleira eletrônica e a retirou. Com isso passou a ser um foragido da justiça. Outro envolvido, Paulo Reis, tinha um mandado de prisão em aberto por roubo.
Somente em um extrato bancário, foram encontradas transações acima de R$ 11 mil com os empréstimos. Os valores da movimentação de dinheiro levantado pelo bando ainda está sendo apurado pela polícia.
cidadeverde.com