domingo, 13 de março de 2016

Ato contra Governo Dilma em Teresina tem churrasco e cerveja

Algumas pessoas aproveitaram o protesto contra a presidente Dilma Rousseff (PT) para faturar uma renda extra, através da venda de bebidas alcoólicas, refrigerantes, petiscos e alimentos em geral. 
Alguns manifestantes uniram o útil ao agradável, e aproveitaram o ato pró-impeachment para se divertir, fazendo churrasco e degustando uma boa cerveja holandesa entre um grito de "fora Dilma!" e outro de "Lula ladrão!". 
"É muito bom ver que o Brasil agora vai pra frente, que a Polícia Federal está resolvendo os problemas de todo mundo, retirando os bandidos lá de cima. Bandidos que, inclusive, estavam querendo impedir a Polícia de investigar. E a gente está aqui, curtindo, celebrando, fazendo um churrasco pra todo mundo comemorar, numa festa que é aberta pra todo mundo. O Brasil tem que ser livre!", afirmou o fisioterapeuta Danilo Carvalho.


Ele também criticou as pessoas que ainda confiam no Governo do PT, e disse ter a esperança de que um dia elas compreendam o quanto a atual gestão foi nociva para o país. "São pessoas que não estão querendo enxergar, mas um dia elas vão acreditar que o Brasil vai ser melhor sem essa galera que é corrupta e só quer derrubar a gente", disse.
Inúmeras pessoas também aproveitaram o ato contra a presidente Dilma e o Governo petista para manifestar apoio ao Ministério Público, à Polícia Federal e ao juiz federal Sérgio Moro, que está sendo o responsável por julgar os políticos, empresários e gestores envolvidos no esquema de corrupção que desviou bilhões da Petrobras.
Milhares de adesivos, camisetas, bandeiras, cartazes e bonecos com sátiras ao ex-presidente Lula e à presidente Dilma Rousseff foram vendidos durante o ato pró-impeachment realizado na tarde deste domingo, em Teresina.
"Na realidade, nós vendemos a preço de custo, camisas, bandeiras e outros acessórios. E os recursos vão para ajudar na organização do ato", afirmou o advogado César Prado, responsável por um dos pontos de venda.
O boneco do ex-presidente Lula vestido de presidiário foi o primeiro a esgotar, mas horas depois também já não era possível encontrar a boneca da presidente Dilma.
Um carro de som foi utilizado pelos manifestantes, que ocuparam as duas pistas da Avenida Raul Lopes.
"Eu achei um protesto tranquilo, organizado, pacífico. De todos os que já ocorreram em Teresina, eu acho que este foi o que teve um maior comparecimento, em torno de 6 a 7 mil pessoas. Foi um movimento bom, se considerarmos que o nosso Estado foi um dos que mais deu votos à Dilma", avalia o empresário Francisco Magalhães.
Fonte: Redação O DIA