quarta-feira, 2 de março de 2016

Jovem boliviano transforma lixo eletrônico em robô

Esteban Quispe, de 17 anos, tem transformado lixo eletrônico encontrado em um aterro em Patacamaya, cidade próxima de La Paz, na Bolívia, num robozinho inspirado no filme Wall-E, da Disney Pixar. Na animação, Wall-E era responsável por compactar o lixo de um planeta Terra futurista coberto de lixo. As informações são do site de notícias Al Jazeera.
Além do robô, Esteban desenvolveu um carro de brinquedo inspirado no modelo KITT, famoso pela série Super Máquina, sucesso nos anos 1980, e um cubo de LED que exibe imagens em 3D.
O talento do adolescente, que aprendeu a fabricar dispositivos eletrônicos de forma autodidata, chamou a atenção da imprensa local, quando ele ganhou um prêmio de robótica com o seu Wall-E. Esteban conta que teve a ideia de fazê-lo quando assistiu ao filme da Pixar pela primeira vez, em 2008, chegando a versão final do seu próprio Wall-E em 2014:
"Eu gostei imediatamente do personagem por causa da sua inteligência e consciência ecológica. Eu sou um pouco como Wall-E, eu desejo que a Bolívia seja um país menos poluído", conta Esteban, que ainda explicou porque se concentrou em fabricar coisas a partir do lixo eletrônico: "eu sei que eles devem se descartados separados de outros resíduos, que ele é mais perigoso. As pessoas aqui de Patacamaya ainda não entendem essa diferença", diz.

Esteban começou a se interessar em mecânica ainda criança, quando acompanhava seu pai que fazia carros de madeira para ele brincar. Aos 10 anos, Esteban criou junto com o pai um veículo de brinquedo com um conjunto de luzes. Depois disso, o menino começou a praticar por conta própria, fazendo pequenos objetos com fios de cobre e logo superando os modelos do pai.
Aos 11 anos ele começou a vender suas primeiras criações na rua. Com o dinheiro, seus pais conseguiram comprar os livros escolares dos filhos. Com o pai sem poder trabalhar, Esteban deseja que seu talento ajude a sustentar sua família: "tenho propostas de pessoas interessadas em comprar o Wall-E, ficaria feliz se eu conseguir usar o dinheiro para ajudar meus pais, depois de tudo que eles fizeram por mim", projeta o garoto.

Toda semana, Esteban visita o depósito de lixo perto de sua casa para coletar materiais para construir seus robôs. "Não é o ideal, mas é o único lugar que não preciso pagar por eles. Além disso, gosto da ideia da reciclagem dos eletrônicos que as pessoas jogam fora", diz. Andando pelo depósito, o garoto encontra desde produtos eletrônicos a carcaças de animais, olhando cuidadosamente para saber o que é útil para ele ou não.
O Wall-E construído por Esteban responde a comandos enviados diretamente do seu celular através de um software, também criado por ele. O garoto pretende ainda criar uma nova versão do robô, capaz de reconhecer a voz do dono, responder a comandos e concluir atividades simples, como se mover para diferentes direções. Esteban deseja vendê-lo por cerca de $b 11.000 Bolivianos, algo em torno de R$ 6.500 reais.
Agora com a escola concluída, Esteban se prepara para estudar eletromecânica na Universidade Católica de La Paz, onde lhe ofereceram uma bolsa de estudos. Apesar de amar a Bolívia, o garoto conta que já planeja conquistar uma bolsa para pós-graduação na Europa: "as pessoas na Bolívia ainda não estão conscientes da importância da reciclagem ou de questões ambientais em geral. Estudar em um país com instrumentos tecnológicos mais sofisticados permitem que eu invente mais e melhor", afirma o garoto, que crê que a divulgação do seu trabalho na mídia ajudou-o a entrar na faculdade:
"Eu não sou interessado em ser famoso, mas talvez se mais gente falar sobre o que faço outros países também possam me oferecer bolsas. Estou pronto para começar meu curso em La Paz, agora quero aproveitar o máximo desta oportunidade e construir um futuro melhor para mim e minha família", conclui.
Fonte: Terra