quinta-feira, 17 de março de 2016

Polícia faz 1ª apreensão por denúncia de App contra tráfico de drogas no PI

   Material apreendido após denúncia pelo app Depre (Foto: Ellyo Teixeira/G1)
A Polícia Civil do Piauí realizou nessa quarta-feira (16) a primeira apreensão de drogas e prisão com base em uma denúncia realizada pelo aplicativo Depre, ferramenta gratuita para realização de denúncias anônimas sobre pontos de venda de entorpecentes. A ação da Civil e da Polícia Militar resultou na apreensão de 440 pedras de crack em um imóvel na Vila da Paz, Zona Sul de Teresina.
                    Aplicativo Depre (Foto: Fernando Brito/G1)
Segundo o delegado Menandro Pedro, da Delegacia de Repressão a Entorpecentes, no momento da abordagem, os policiais flagraram o suspeito fazendo a divisão e preparo da droga para a venda. “A sociedade está nos ajudando e isso só mostra que todos estão unidos para combater o tráfico e dessa forma evitar outros crimes. As pessoas que usassem ou fossem usar essa droga, iria roubar ou até mesmo matar para conseguir o dinheiro. Com a apreensão, nos evitamos vários outros crimes”, disse.


O app Depre já foi baixado mais de 500 vezes menos de 24 horas após o seu lançamento oficial, realizado nessa terça-feira (15). Como resultado dessa procura, a Polícia Civil está investigando pelo menos 100 denúncias recebidas pela ferramenta.
Aplicativo Depre
A nova ferramenta já está disponível na loja de aplicativos para celulares com sistema operacional Android, mas logo poderá ser baixada para smartphones iOS. Para baixar, basta acessar a loja, pesquisar pelo nome “Depre”, que significa Delegacia de Repressão a Entorpecentes, fazer o download e instalar.
Conforme o delegado Alessandro Barreto, um dos desenvolvedores do aplicativo, a ferramenta é simples. Nele, o denunciante pode preencher um formulário com a denúncia, informando à polícia o local onde há o tráfico de drogas.
“A pessoa faz a denúncia colocando o endereço, local, e o texto informando todos os detalhes que conseguir identificar. Dessa forma, quanto mais clara e precisa for a informação, mais ágil será o trabalho da polícia”, explicou.
Fonte: G1/PI