quinta-feira, 14 de abril de 2016

"Não me arrependo",afirma lavradora que matou filho que a estuprava, em SP

Mulher relatou momentos de terror (Crédito: Reprodução)
A lavradora Suzi Amâncio Veira, de 52 anos, causou polêmica após declarar durante uma entrevista que não se arrepende ter matado o próprio filho queimando os ossos e enterrando os restos no quintal da sua residência em São Paulo há quatro anos atrás.

             Local onde os restos foram encontrados (Crédito: Reprodução)
“Foi um golpe certo, não titubeei. O arrependimento eu procuro por Deus, mas ainda não achei”, declarou ela. A mulher afirmou que agiu dessa maneira porque o filho era usuário de drogas, a estuprava e ameaçava a família o tempo inteiro.
Local onde os restos foram encontrados (Crédito: Reprodução)
De acordo com ela, o assassinato aconteceu no dia 9 de maio de 2012 quando ela estava tomando banho e o rapaz invadiu o local armado com uma faca. “Ele falava na minha cara que não tinha desejo por outra mulher e só tinha por mim. No banheiro eu reagi, ou era ele ou eu”, disse ela.
O rapaz, identificado como Régis Custódio de Oliveira, de 24 anos, foi morto com uma facada no pescoço. A mulher afirmou que em seguida enrolou o seu corpo em um cobertor e enterrou no quintal. Três meses depois desenterrou e queimou com etanol.
Para a família, a mulher afirmou que o filho tinha viajado e não tinha dado mais notícias. Fato que perdurou até a última terça-feira (12/04) quando ela resolveu confessar o crime para a Justiça. “Eu fiz o que minha consciência falou, estou disposta a obedecer o que vier. Fiz de um jeito horrível, reconheço, mas não me arrependo”, declarou.