quinta-feira, 5 de maio de 2016

Ministro do STF afasta Eduardo Cunha do mandato na Câmara

Rodrigo Janot, procurador-geral, chega a chamar Cunha de 'delinquente' em seu pedido.
O presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), teve seu afastamento do mandato de deputado federal determinado nesta quinta-feira (05/05), pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavaski. A informação é da Folha de São Paulo.
O afastamento, por força de liminar atende ao pedido da Procuradoria-Geral da República, que apontou ao menos onze situações onde Cunha teria usado do cargo para "constranger, intimidar parlamentares, réus, colaboradores, advogados e agentes público com o objetivo de embaraçar e retardar investigações".
A reportagem de Folha lembra que Cunha virou réu no STF pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, e é ainda acusado de integrar o esquema de corrupção da Petrobras, onde teria recebido R$ 5 milhões em propina de contratos de navios-sonda da estatal.
É ainda alvo de denúncias na Lava Jato, além de outros inquéritos e pedidos de inquéritos que ainda serão analisados por Teori. Na apuração, denúncias de práticas criminosas no mandato e recebimento de propina.
Quem assume o lugar de Cunha, é o também investigado na Lava Jato, deputado Waldir Maranhão (PP-MA).
Fonte: G1