quarta-feira, 4 de maio de 2016

Tenente coronel é única mulher a assumir comando operacional no PI

A passagem de comando do 1° Batalhão de Polícia Militar no Centro de Teresina foi marcada de emoção. Assumiu o comando do BPM, a tenente coronel Elza Rodrigues Ferreira, irmã do ex-comandante do local, tenente coronel Raimundo Rodrigues Ferreira, que assumirá o Comando de Policiamento do Semiárido, na região de Picos. 
A transmissão de cargo foi conduzido pelo subcomandante geral da PM, coronel Lindomar Castilho, em solenidade no Batalhão, nesta quarta-feira (04). “Foi uma passagem de comando emocionante, pelo cuidado, carinho e zelo com que o coronel Rodrigues passou o comando para sua irmã. Em 30 anos de corporação, eu nunca tinha visto isso. É um fato inédito. Tive o privilégio de ouvi-lo dizer que a coronel Elza está recebendo uma tropa boa, disciplinada e que sabe o que fazer. Ela tem compromisso e responsabilidade, o 1° BPM está abençoado”, declarou coronel Lindomar Castilho.

O ex-comandante do 1º BPM também falou sobre a passagem de comando para a irmã. "Foi um momento único e particular. Tenho 30 anos de polícia e nunca tinha visto um momento como esses. Se já houve na PM a passagem de comando entre irmãos, eu não lembro. Foi um momento particular, gratificante e nosso. Estou feliz por ter trabalhado no 1º BPM, não tivemos nenhuma baixa de policial e tivemos resultados", disse Rodrigues que ficou cerca de cinco meses no comando do Batalhão.
Com essa passagem de comando, a coronel Elza é atualmente a única mulher a comandar um batalhão operacional no Estado. 
"Estou muito orgulhosa de estar assumindo a função de comando no 1º BPM. Minha meta é trabalhar e lutar para diminuir o índice de ocorrências de crimes e dá apoio à sociedade que tanto clama por segurança pública. O trabalho dignifica o homem. Eu digo sempre que dentro da instituição Polícia Militar, a mulher cresceu muito. Quando entramos na instituição, alguns policiais não queriam nos obedecer. Hoje é outra cultura, conquistada através do trabalho. Fomos reconhecida dentro da instituição pelo nosso trabalho. Atualmente, lidamos isso com muita naturalidade: receber um comando. Exatamente por essa conquista que galgamos ao longo dos anos", disse a tenente-coronel, que anteriormente era subcomandante do CFAF. 
Ela é a quarta mulher a compor o efetivo do 1º BPM e a terceira a comandar o Batalhão. A nova comandante entrou na corporação em 1988 como sargento e, em seguida, fez o curso para oficial na Academia de Polícia Militar do Rio de Janeiro, onde morou por três anos. 
"Vim de lá como aspirante, fui para a Companhia Feminina, que foi extinta e então, eu trabalhei um bom período no 6º BPM, na rua, por isso que pra mim está assumindo o 1º BPM não é tanta novidade, porque o maior tempo de minha vida como tenente e como capitão, eu estive nas ruas, nas ocorrências e vamos dar continuidade a esse trabalho. Também trabalhei na diretoria de apoio logístico da Instituição, uma missão bastante árdua e que me consumiu muito como profissional. Além disso, tive a horna de ficar no subcomando do CFAF, unidade que dar todo o suporte para exercer qualquer função na PM. Lá é o berço, onde formamos, orientamos o policial e passamos todas as nossas instruções. É no Cfap que nasce o policial militar. Eu me senti privilegiada de estar lá", disse. 
Cidade Verde