terça-feira, 2 de agosto de 2016

STJ nega pedido de liberdade de prefeito preso por corrupção no PI

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Francisco Cândido de Melo Falcão Neto, negou o pedido de soltura do prefeito de Redenção do Gurgueia, Delano Parente (PP). O gestor foi preso na operação Déspota suspeito de fraude em licitação, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. O prefeito permanece preso no quartel do Corpo de Bombeiros, em Teresina.
O pedido foi feito pelo seu advogado em Brasília, numa estratégia para que o prefeito fosse solto e participasse de sua convenção prevista para o último sábado, já que ele é o candidato à reeleição em Redenção. Como o prefeito não foi solto, os correligionários mudaram a convenção de Delano Parente para o dia 5 de agosto. 
Delano e mais 14 pessoas foram presas em operação deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual. A investigação descobriu fortes indícios de corrupção, superfaturamento, emissão de notas fiscais frias, utilização de empresa de fachada e lavagem de dinheiro.
Soltura
O desembargador do Tribunal de Justiça do Piauí, José Francisco do Nascimento determinou a soltura do vereador Francisco das Chagas, o Chiquim, Luiz Nonato Dias da Silva e o pai do prefeito Audemes de Sousa Nunes, secretário de Infraestrutura de Redenção do Gurgueia.
O advogado do vereador Francisco das Chagas, Evaldo Martins, argumentou que o parlamentar ajuda nas investigações antes mesmo da operação.
“Alegamos que não há perigo para a instrução criminal e nem para a ordem pública. O vereador está ajudando na investigação”, disse o advogado.
Francisco das Chagas estava preso na sede do Corpo de Bombeiros. 
cidadeverde.com