quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Vídeo: Justiça solta motorista que matou avó, mãe e filha recém-nascida em acidente e decisão revolta familiares

O motorista Francisco das Chagas Carvalho Costa, de 22 anos, preso em flagrante na noite do dia 26 de maio de 2016, sob acusação de provocar o acidente de trânsito ocorrido no KM-31 da BR-343 que resultou na morte de três pessoas da mesma família (avó, mãe e filha recém-nascida)[clique aqui e reveja], foi posto em liberdade menos de dois meses depois do crime por força de uma liminar da justiça, e a decisão deixou os familiares da vitimas inconformados como mostra a reportagem de Hilder Monção, da TV Antena 10.
O habeas corpus condicionado à apenas algumas medidas cautelares, que colocou Francisco das Chagas de volta as ruas como se nada tivesse acontecido foi impetrado pelo conceituadíssimo advogado criminalista, Dr. Marcio Araújo Mourão, foi julgado no dia 12 de julho, na Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) monocraticamente pelo Desembargador Edvaldo Pereira de Moura.
   Assista abaixo a reportagem exibida na TV Antena 10:




As vitimas fatais tratam-se das cocalenses Maria Luzinete Santos, de 29 anos, e sua filha Maria Izabele, recém-nascida com menos de um dia de vida, que faleceram ainda no local do acidente, e a senhora Maria do Amparo dos Santos Machado, mãe e avó, respectivamente, que veio à óbito no Hospital Estadual Dirceu Arcoverde em Parnaíba na manhã do dia 13 de junho (18 dias depois), em decorrência dos ferimentos ocasionados no desastre (clique aqui e reveja).
O motorista Francisco das Chagas conduzia sob efeito de bebida alcoólica, um automóvel modelo Onix, que pegou emprestado de um amigo. Ele seguia sentido Buriti dos Lopes/Parnaíba, quando colidiu frontalmente em um veiculo modelo Parati, de cor prata, ocupado por cinco pessoas, na qual era conduzido pelo Sr. José Machado (pai de Luzinete), que ficou ferido, e que tinha como passageiro, além das vitimas fatais, a senhora Maria de Lourdes Cardoso de Albuquerque, que ficou gravemente ferida, mas recebeu alta do hospital no dia 1º de maio (clique aqui e reveja).
Confira abaixo a decisão do Relator Edvaldo Pereira de Moura:

  Fonte: Blog do Coveiro