segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Adão, suspeito de liderar estupro coletivo em Castelo, é julgado em Campo Maior

Acusado de ser o mentor do estupro coletivo de quatro jovens em 2015 em Castelo do Piauí, Adão da Silva Souza passa por julgamento no fórum de Campo Maior nesta segunda-feira (12). De acordo com o delegado Laércio Evangelista, responsável pela prisão de Adão, o julgamento começou por volta das 8h e além do acusado, várias testemunhas do município também serão ouvidas hoje.
Seu depoimento estava marcado para o mês de julho mas por falta de segurança, a oitiva, que aconteceria em Castelo foi adiada e remarcada. A cidade entrou em agitação com a notícia de que Adão seria ouvido. A audiência é presidida pelo juiz Leonardo Brasileiro e inicialmente ouviria 18 testemunhas do caso. Como o caso corre em segredo de justiça, não foi permitida a entrada de curiosos ou da imprensa.
"Ele está sendo ouvido pelo juiz Leonardo Brasileiro sobre o caso do Estupro Coletivo. Quem defende ele é a Defensoria Pública e além dele várias testemunhas de Castelo serão ouvidas, mas não foram divulgadas", explicou o delegado.
Ricardo Trigueiro é o promotor responsável pela acusação. Ainda não há horário previsto para o fim do julgamento. As vítimas já foram ouvidas com a presença de um advogado e um psicólogo.

O crime
O estupro coletivo contra quatro jovens ocorreu no dia 27 de maio. Elas foram amarradas em árvores, agredidas e atiradas do alto de um morro de cerca de 10 metros. Uma das vítimas, Danielly Rodrigues Feitosa, 17, morreu após passar dez dias internada.
Quatro adolescentes foram condenados pelo crime e três cumprem medida sócio-educativa, já que um Gleison Vieira da Silva, 17 anos, foi morto seis dias após a condenação pelos outros três. Eles dividiam a mesma cela em um Centro Educacional Masculino (CEM) em Teresina. 
cidadeverde.com