sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Ciclista do Piauí é arremessado a 45 metros e morre em acidente

O atleta do ciclismo piauiense, Manoel Dionísio, 33 anos, morreu atropelado por veículo na BR-230, próximo à cidade de Floriano. O acidente ocorreu por volta das 18h, desta quinta-feira (27). O chefe da 3ª Delegacia da Polícia Rodoviária Federal, Bernardino Oliveira, conta que a vítima foi arremessada a cerca de 45 metros de distância. 
"Estamos coletando os dados do local e também ouvindo as testemunhas para saber o que de fato ocorreu. Se o ciclista trafegava na própria via, pelo acostamento ou na faixa de bordo", disse Oliveira.
Manoel Dionísio pedalava uma bike speed e estava com mais dois ciclistas que não sofreram ferimentos. Pela situação em que ficaram as bicicletas é possível perceber a gravidade do acidente. O piauiense teve morte imediata.
O condutor do veículo de passeio- que não teve a identidade revelada- seguia no mesmo sentido da vítima em um carro modelo Parati. De acordo com a PRF, o motorista foi submetido ao teste do etilômetro, que deu negativo. Ele prestou socorro a vítima, foi conduzido à delegacia e liberado em seguida.

Manoel Dionísio- que competia nas modalidades de ciclismo estrada e mountain bike- treinava para conseguir ranqueamento nacional de ciclismo após expressivos resultados em competições piauienses.
O presidente da Federação de Ciclismo do Piauí, George Augusto Rodrigues, lamentou a perda do atleta que participaria da corrrida ciclística Pedro Tomaz, que acontece em novembro, entre as cidades de Floriano-Jerumenha. 
"Para a gente, não tem uma notícia mais triste que a morte do atleta, que era bastante conhecido e morreu fazendo o que gostava. Ele estava disputando o ranking estadual e acumulava títulos. Inclusive, ele já foi atleta da federação piauiense. O Dionísio era um bom atleta, não um ciclista aventureiro", lamenta o presidente da federação.
George Augusto ressalta que o número de acidentes com ciclistas tem afastado atletas do esporte e chama a atenção para a falta de sinalização no trânsito. 
"A cada acontecimento como este, atletas deixam de pedalar com medo do trânsito. Não quero julgar a imprudência do motorista, mas a falta de respeito no trânsito nos deixa muito desanimados. Este não é o primeiro e nem o segundo atleta que perdemos e infelizmente não será o último. Falta sinalização nas estradas e um local para que os atletas possam treinar", desabafa George Augusto.
Pelas redes sociais, amigos e admiradores do atleta também lamentaram a perda do ciclista. Manoel Dionísio deixa a esposa e duas filhas menores de idade. O sepultamento está previsto para as 17h, desta sexta-feira (28), no cemitério São Pedro de Alcântara.
cidadeverde.com