quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Sem efetivo, Bombeiros do PI só atendem a 30% dos chamados

Em entrevista à TV Clube, nesta quarta-feira (12/10), o Capitão Anderson Pereira da Associação de Bombeiros Militares do Piauí lamentou que, diante do excessivo número de queimadas e do efetivo reduzido do Corpo de Bombeiros, muitas ocorrências urgentes e salvamento de vítimas, estão deixando de ser atendidas. Ele teme que a situação acabe contribuindo para o óbito de pessoas que precisam de atendimento pré-hospitalar.
"Essas ocorrências de incêndio de vegetação estão movimentando todo efetivo da corporação. Neste aspecto, qual é o grande problema? É que ocorrências relacionadas ao atendimento pré-hospitalar de vítimas, que possam estar presas em ferragens, e que demandem sobreviver em virtude de um serviço especializado dos bombeiros, ela vai sofrer e provavelmente vir a óbito", disse.
A dificuldade em atender estas ocorrências se dá porque todo efetivo está mobilizado para atender os casos de incêndio em vegetação.
O Capitão lamentou ainda que a situação poderia ser um pouco melhor, se o Estado garantisse melhor estrutura para que o efetivo cumprisse com seu papel. "Temos uma condição hoje de falta, ausência e insuficiência de equipamentos e recursos materiais, e principalmente de ausência de efetivo, para que possamos prestar o mais básico serviço", afirmou.

Segundo a TV Cidade Verde, somente hoje, os Bombeiros receberam mais de 100 chamados, e apenas 30% tiveram condições de serem atendidos. Desde a tarde de ontem, um incêndio avança rapidamente pela região da zona Rural de Teresina, próximo aos povoados que margeiam a PI-112, que liga a capital à cidade de União. 12 casas já foram atingidas pelas chamas.
Já nesta tarde, o fogo se espalhou pela BR-343, ameaçando um condomínio de luxo localizado na Ladeira do Uruguai. No mesmo local, comerciantes que trabalham na rodoviária viram as chamas avançarem em seus estabelecimentos. No local, que não tinha água encanada, os comerciantes usaram até água mineral, desesperados diante do avanço do fogo.
Mais cedo o 180 mostrou a situação de uma das viaturas do Corpo de Bombeiros. A mangueira furada não só é motivo de vergonha para os bombeiros, que se arriscam para atender a população, bem como atrasa a operacionalização do atendimento.
Fonte: 180Graus