domingo, janeiro 08, 2017

Assaltante que fez reféns na lotérica de Parnaíba é autuado por seis crimes

Ricardo Aguiar de Sousa, conhecido como Batata foi autuado por seis crimes pela delegada Maria de Jesus Bastos em Parnaíba. Batata é um dos envolvidos no assalto com reféns à lotérica do município na noite da última sexta-feira (07). Seu comparsa Kelson Azevedo foi morto com um tiro após atirar contra os policiais durante a ação.
"Nós ouvimos as seis vítimas e autuamos ele por roubo triplamente qualificado, tentativa de homicídio, associação criminosa, porte ilegal de armas, resistência e roubo duplo", explicou a delegada.
A Polícia Militar precisou se defender do ataque dos bandidos, mas segundo a delegada toda a atuação será apurada no bojo do inquérito que terá atuação do Ministério Público. 
Nos depoimentos, as vítimas relatam os momentos de terror vividos nas mãos dos criminosos. A delegada conta que a primeira exigência feita pelos bandidos era que duas motos fossem retiradas da frente da agência para que eles pudessem fugir. "Eles haviam roubado um veículo de manhã para praticar o assalto. Eles prometeram que libertariam uma refém para que ela tirasse as motos na frente do carro e fariam uma corda humana para que eles pudessem fugir", acrescentou a delegada.

As vítimas também afirmam que foram ameaçadas a todo momento e alguns tiveram ferimentos leves por conta de estilhaços soltos provocados por um tiro dado por Batata no chão da lotérica. "Foram quase seis horas nas mãos dos bandidos e os momentos relatados são de horror. Eles diziam que se não obedecessem as exigências eles iriam matar de um por um", completou.
Ricardo foi encaminhado para a Penitenciária Fontes Ibiapina onde está a disposição da Justiça.
Entenda o caso
Um homem morreu e outro foi preso após fazerem reféns em uma agência lotérica na cidade de Parnaíba, litoral do Piauí. O comandante do 2º BPM da cidade, coronel Adriano Lucena, disse que foram seis horas de negociação com a dupla, que tentou assaltar a agência. Um deles foi morto em troca de tiros com a polícia. 
O coronel relatou ao Cidadeverde.com que a dupla chegou à lotérica por volta das 19h40 de ontem (6), para fazer um assalto. Contudo, não conseguiram deixar o estabelecimento. Rapidamente, a polícia foi acionada e cercou o local. 
Ao perceberem que não teriam como sair, a dupla fez cinco reféns, sendo dois homens e três mulheres. Os dois estavam armados com revólveres. 
cidadeverde.com