.Publicidade

.Publicidade

sábado, janeiro 21, 2017

Convertidas! Veja musas que trocaram o carnaval pela Bíblia

Logo após a virada de ano, as pessoas já começam a se preocupar com o carnaval. E não é para menos: para muita gente essa época é sinônimo de fama e, portanto, a mais importante do ano. Mas, enquanto alguns estão doidos para entrar na Avenida, tem gente que preferiu a aposentadoria da folia em nome da religião. Lembre quais foram as musas que deixaram as plumas de lado e passaram a se dedicar à fé.
Após mais de uma década de Avenida, a modelo - que já desfilou com os seios de fora e até fez cirurgia de orientalização para entrar no sambódromo - resolveu aposentar de vez as fantasias. Ângela Bismarchi agora está focada no estudo da Bíblia, e tem frequentado um culto evangélico duas vezes por semana. "Não vou mais desfilar. Ainda mais agora, que eu estou programando o batismo nas águas, aí vai ser difícil voltar para o mundão. Estou vendendo até as minhas fantasias", disse ao EGO.
A modelo, que também é autora do livro "Don Juan e seus tons de pink", disse que não vai fazer uma continuação para a história, e afirmou que durante o período do carnaval vai "fugir" do Rio. "Prefiro não estar por aqui, afinal, foram tantos anos saindo e me dedicando! Não quero voltar para o mundão, e para se converter você tem que estar muito consciente, pois assim não volta", afirmou.

Vânia Love
A irmã do jogador Wagner Love, que tinha sido até rainha de bateria da Império Serrano, revelou em 2012 que carnaval era coisa do passado, já que tinha se convertido à religião evangélica. Em algumas postagens no Twitter, Vânia explicou sua decisão. "Vou me dedicar à minha vida profissional, minha família, meus amigos e não amigos, e fazer o que for significante para Deus. Gostaria de agradecer todo o carinho que vocês tiveram comigo no decorrer desse tempo, e que vocês continuem me acompanhando nessa nova etapa da minha vida", anunciou ela, na ocasião.
Luciana Picorelli
Essa ex-rainha de bateria deixou de desfilar em 2012 após 14 anos de sambódromo. Embora tenha chegado a se converter para a religião evangélica, Luciana frisa que o motivo para ter deixado a Avenida foi puramente financeiro. "Gastava e não tinha nada, morava de aluguel. Por isso não me arrependo de ter deixado de desfilar, porque hoje tenho uma vida estabilizada e comprei a minha casa. Mas admito que bate uma saudade", disse ao EGO.
Vânia Love 
Luciana, que chegou a se converter à religião evangélica, explicou que há alguns meses voltou a praticar o espiritismo, uma crença que a acompanha desde criança. Também destaca que mesmo quando frequentava cultos o pastor nunca a impediu de voltar a desfilar, e afirma que isso foi uma escolha dela. "Não é questão do pastor, toda a igreja prega que o carnaval é coisa do mundo. E portanto é também coisa do diabo, como a bebida, o cigarro e o funk", acrescentou.
Andressa Urach
Quem também quer passar longe da folia é Andressa Urach. No passado, a modelo chegou a desfilar usando apenas um esparadrapo como tapa-sexo, mas hoje quer manter distância do que ela define como "festa da carne". "É contra ao que eu acredito hoje. Quando me converti uma das coisas que priorizei foi não me expor tanto quanto antes, não só pela fé, mas por mim também. Não sinto saudades. É um mundo muito vazio", defendeu, ao EGO.
Andressa também afirma que não desfilaria novamente, mas que essa decisão não tem a ver com as suas cicatrizes na perna – fruto de uma aplicação de hidrogel. "Resolvi me preservar, porque acho que nunca é tarde para a pessoa mudar e criar valores. Hoje meu corpo quem tem que ver é o meu marido. Mas não julgo quem gosta do carnaval", afirmou.
Valéria Valenssa
A eterna Globeleza revelou, no início de 2015, que teve depressão após deixar o cargo que a tornou conhecida internacionalmente. Para ela, tudo ocorreu por não saber lidar com a ausência da fama. Na época, ela afirmou que as coisas começaram a melhorar quando ela se tornou evangélica. "Eu lia a Bíblia, orava sozinha, orava com os meninos em casa. Foi natural a forma como Deus agiu na minha vida. Esse Deus em que eu creio me tirou da depressão. Não sinto mais falta da fama, nem do sucesso que fazia como Globeleza. Esse tempo passou", disse.
Fonte: Ego