quinta-feira, fevereiro 16, 2017

Governo Federal fecha 19 agências do Banco do Nordeste

Em comunicado, o banco controlado pelo Governo Federal afirmou que o motivo do fechamento das Agências no país será com base “na preservação da presença do Banco em sua área de atuação, manutenção e ampliação da qualidade do atendimento aos clientes, manutenção das agências pioneiras no interior, e revisão de sua rede de agências nas capitais e em cidades de médio porte que tenham mais de uma unidade”. O Banco explicou ainda que “não haverá demissões, mas redistribuição dos quadros para outra unidade, com vista ao fortalecimento da estrutura de atendimento”.
A nota do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) diz que serão desativadas duas agências em Salvador, na Liberdade e no bairro de Cajazeiras, além de uma agência em Feira de Santana, no Distrito de Maria Quitéria, em Juazeiro, na Rua Adolfo Viana, e em Vitória da Conquista, no Bairro Brasil. Os funcionários dessas unidades serão realocados para outras agências nessas cidades.
Através da Assessoria de Imprensa, o Banco do Nordeste informou que a medida foi aprovada pelo Conselho de Administração, “no âmbito de um conjunto de medidas de realinhamento estratégico e de melhoria da eficiência operacional, a readequação de sua rede de atendimento, com a desativação de 19 agências distribuídas em sua área de atuação”. O banco diz ainda que manterá o seu compromisso em promover o desenvolvimento sustentável, o bem-estar das famílias e a competitividade das empresas da Região.

inda segundo a nota oficial do BNB, todos os preceitos legais foram observados, dentro das diretrizes da própria posição do banco.
Bancários - Em nota, o sindicato dos Bancários na Bahia disse se tratar de um de um desmonte dos bancos públicos, que começou com o fechamento de várias agências do Banco do Brasil, no final do ano passado. Na nota publicada pelo Sindicato dos Bancários na Bahia, os bancários dizem que “o plano vai de encontro aos avanços da instituição nos últimos anos.
De 2006 a 2015, o número de unidades subiu de 180 para 303 (68,3%), as aplicações cresceram de R$ 7,3 bilhões para R$ 24,1 bilhões (231%) e o quadro de empregados aumentou de 5.161 para 7.231 trabalhadores (40,1%)”. 
Já a Associação dos Funcionários do BNB diz que “a sociedade nordestina ficou espantada com a notícia de que, na contramão da necessidade da região, o principal banco de desenvolvimento da região Nordeste anunciou o fechamento de 19 agências bancárias, a maioria recém-inauguradas”.
Ainda segundo a nota da AFBNB, “se houve um incremento de 40,1% do número de funcionários, de 68,3% do número de agências, houve um aumento de 231% das aplicações na região, notadamente entre os mini, pequenos e médios produtores e na região semiárida, números que mostram o elevado compromisso com o desenvolvimento regional”, diz a nota.
O documento encerra com um pedido para que empresários e agentes fomentadores da região nordeste se mobilizem para tentar reverter essa decisão. 
“O Nordeste precisa é de mais recursos, mais ações, mais desenvolvimento, que não serão resolvidos com o enfraquecimento de seu principal órgão financiador federal, o Banco do Nordeste. É necessário que a sociedade brasileira e nordestina, seus empresários dos variados setores, seus representantes políticos comprometidos com a região se juntem para lutar pelo fortalecimento do BNB e do Nordeste”, finaliza o documento.
Banco executa programas rurais
Criado pela Lei Federal nº 1.649, de 19 de julho de 1952, como uma instituição financeira múltipla e organizada sob a forma de sociedade de economia mista, de capital aberto, tendo mais de 90% de seu capital sob o controle do Governo Federal, o Banco do Nordeste do Brasil tem sua sede em Fortaleza (Ceará) e atua em 1.990 municípios de 13 estados.
É considerado o maior banco de fomento da América do Sul, sendo o executor do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e do Fundo Nacional de Financiamento do Nordeste (FNE), principal fonte de recursos operacionalizada pela Empresa. Das 307 agências, 65 estão na Bahia, das quais cinco em Salvador – Cajazeiras, Liberdade, Comércio, Pituba e Avenida Tancredo Neves.
Fonte: Meio Norte