Publicidade

Publicidade

sexta-feira, 17 de março de 2017

PI: Ex-rei Momo é preso por envolvimento na morte do cabo Valdir

Os policiais da Delegacia de Homicídios prenderam na manhã desta sexta-feira (17), na Avenida Maranhão, em Teresina, José Ivaldo Firmino de Oliveira Júnior, ex-rei Momo do Carnaval de Teresina, em 2015.
De acordo com o delegado Higgo Martins, o ex-rei Momo é o dono da casa onde o veículo Nissan Versa, usado para dar suporte no assalto ao tesoureiro da Ortomed, que terminou com a morte do a policial-cabo Valdir Mendonça do Vale, e que foi encontrado na última terça-feira (14), no bairro Parque Alvorada, zona norte de Teresina.
Em entrevista ao GP1 o delegado Barêtta, coordenador da Delegacia de Homicídiosrevelou detalhes do envolvimento de José Ivaldo com o crime e informou que conduzia o Nissan Versa.
“Segundo consta nos depoimentos prestados pelos outros indivíduos que já estão presos, ele é o proprietário do veículo e, também, é quem estava dirigindo o carro naquele dia”, pontuou Francisco Costa, o Barêtta.
Ainda de acordo com Barêtta, além de José Ivaldo, mais pessoas da família estão envolvidas no crime. “A irmã dele e também a namorada estão envolvidas. A incumbência dela [irmã] era dar fim no carro para destruir todas as provas que, porventura, tivesse. Por exemplo, após a localização do carro, nos exames periciais que foram feitos, foram constatadas tanto as impressões digitais dele, como dos outros meliantes que participaram. O crime aconteceu e nós estamos dando uma resposta célere”, explicou o delegado.
Relembre o caso
Cabo Valdir exercia a atividade de policial há mais de 22 anos e era lotado no 5º Batalhão da Polícia Militar (BPM), localizado na zona leste de Teresina. Ele foi atingido com um tiro na perna e outro no peito, depois de perseguir dois bandidos que assaltaram o tesoureiro da clínica Ortomed. O PM chegou a ser socorrido e levado com vida do local, mas morreu à caminho Hospital de Urgência de Teresina (HUT). Um vídeo mostra o assalto que resultou na morte do agente de segurança pública.
Fonte: GP1