segunda-feira, março 13, 2017

Mão Santa se reúne com equipe econômica e estuda reduzir valor do IPTU

No final da manhã desta segunda-feira (13), o secretário municipal da Fazenda, Gil Borges, juntamente com o procurador geral do Município, Ricardo Mazulo e técnicos tributários, apresentaram ao prefeito Mão Santa dados de um estudo criterioso que está sendo feito na cidade sobre a mensuração e cobrança da taxa do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU).
De acordo com Borges, o estudo já está em fase de finalização e haverá redução significativa no imposto cobrado atualmente. Para se ter uma ideia, uma residência orçada no valor de até R$ 48 mil reais, ficará isenta da cobrança.
“Essa será uma redução bastante significativa tanto para quem tem uma propriedade simples, pequena, quanto para aqueles que possuem grandes áreas. Essa adequação do IPTU foi feita pensando em toda a população para que as pessoas não voltem a passar pelos apertos sofridos por causa da gestão anterior”, ponderou Borges.
No ano passado, sob a administração do então prefeito Florentino Neto, a taxa teve um aumento exorbitante, sendo que em alguns casos, subiu até mil por cento, situação que tornou a quitação da dívida inviável para muitas famílias. Assim que assumiu o governo, a redução do imposto sobre os imóveis foi uma das grandes prioridades do prefeito Mão Santa, pois tanto ele quanto Gil Borges são unânimes em afirmar que “imposto bom é imposto justo”.
Atualmente o município tem para receber R$ 17 milhões de reais de débitos atrasados do IPTU. Para que as pessoas possam saldar os boletos de anos anteriores, o secretário da Fazenda informou que o município apresentará uma proposta por meio de um Programa de Recuperação Fiscal (Refis). 
Ascom / PMP