sábado, maio 13, 2017

Enterro de policial morto em delegacia é marcado por muita comoção no interior do Piauí

Foi enterrado na tarde de sexta-feira (12) o policial militar Daniel Marcos Ferreira da Silva, 48 anos, assassinado a tiros dentro da Delegacia do município de Paquetá do Piauí. Após ser velado nas cidades de Picos e Paulistana, o policial foi enterrado com honras militares no Cemitério do Posto Fiscal de Pipocas, localizado no município de Acauã. 
O Secretário de Segurança do Estado do Piauí, Capitão Fábio Abreu, e outras autoridades militares como o comandante do policiamento do CPSA Cel. Rodrigues, Major Felipe comandante do 20º BPM de Paulistana, Coronel Carlos Augusto Comandante Geral da PM/PI, Major Neto comandante do 14º BPM de Oeiras, Wagner Torres (Comandante do Policiamento da Capital), policiais de praticamente todas os municípios pertencentes ao 20º BPM.
Enterro de policial morto em delegacia é marcado por muita comoção (Crédito: Fabionascimentonoticias)
O enterro foi marcado por muita comoção e revolta por parte dos familiares e amigos que deram o último adeus ao policial que tinha 23 anos de atuação na Polícia Militar do Piauí. O caso ganhou bastante repercussão. 
                            Daniel Marcos Ferreira da Silva (vítima)
O acusado de cometer o crime, que se identificou como Wagner, foi preso e confessou o crime. Segundo o delegado Ewerton Ferrer, da Gerência de Policiamento do Interior, ele já possui passagem por vários crimes. 
“É um velho conhecido da Polícia Militar e Civil de Picos, com passagens desde de 2006, 2007 e 2012 por roubo a mão armada e também já tem passagem por porte de arma. Ele é um indivíduo perigoso, passou quatro anos preso e foi solto em novembro do ano passado. Ele, no entanto, voltou a praticar crimes, inclusive está sendo investigado pela polícia de Picos por um crime que ocorreu recentemente na cidade”, afirmou.


O delegado explica, em detalhes, como ocorreu o crime. “Ele estava provavelmente fugindo da cidade de Picos em direção ao município de Paquetá. Ele parou em um povoado, pediu carona para chegar e os populares perceberam a presença estranha do mesmo e acionaram à polícia. O cabo Daniel exerceu seu trabalho, foi até o local e o conduziu para Delegacia. Nessa abordagem, ele foi levado para uma sala, se recusou a se levantar para o policial ver se havia alguma arma, obviamente ele já estava com duas armas. Nesse momento provavelmente houve uma luta, ele teria corrido para outro comodo e lá teria sacado a arma, atingindo a cabeça do policial. O cabo Daniel deve ter caído", relatou o delegado. 
O acusado, durante depoimento, confessou o crime e afirmou que a vítima teria sacado a arma, versão não confirmada pela polícia. “Temos informações de testemunhas de que o policial não chegou a sacar a arma em momento algum e ele [acusado] pode falar o que quiser falar”, acrescentou.
Acusado de matar policial dentro de delegacia (Crédito: Divulgação)
O crime
O acusado teria aproveitado a desatenção do policial, pego a arma e desferido contra ele vários disparos. Daniel teve morte imediata no local. A Delegacia de Paquetá do Piauí foi tomada pelos moradores.
O corpo do policial ficou no local aguardando a chegada da perícia para levantar informações da cena do crime. Daniel morava em Picos e estava há pouco tempo trabalhando na cidade.
Fonte: Portal Meio Norte