.Publicidade

.Publicidade

terça-feira, junho 27, 2017

Maior presídio do Piauí bate recorde de presos e maioria é usuário de droga

Nesta terça-feira - 27 de junho de 2017 - a Casa de Custódia bateu um recorde. Pela primeira vez, registra o maior número de presos nos últimos anos. São 1.023 detentos abrigados no maior presídio do Piauí, quando a capacidade é de 343. Na manhã de hoje, a Secretaria Estadual de Justiça lançou o Projeto Nortear para conscientizar os detentos sobre os malefícios das drogas. O Cidadeverde.com entrou no presídio e acompanhou a solenidade. 
Com histórico de rebeliões, a Casa de Custódia chega ao seu limite máximo. No entanto, diretor do presídio, Jean Bezerra, informou que o local registra 379 dias sem rebelião ou motim.
A superlotação, segundo o diretor é o problema mais grave no presídio. “É um trabalho continuado nos noves pavilhões onde chegamos ao maior pico de presos. Tudo isso é força de vontade e trabalho dessa equipe. Estamos a 379 dias sem motins ou rebeliões, mesmo estando com a capacidade três vezes maior que o permitido", disse o diretor.  O diretor ressaltou ainda que a Sejus não barrou a entrada de novos presos porque todos os outros presídios enfrentam a superlotação. 
                                               Usuário de drogas
Segundo levantando da Custódia, 60% dos presos no local são usuários de drogas. A Sejus realizou um evento especial levando o promotor Mário Alexandre Costa Normando, da Comarca de Água Branca. Ele levou uma mensagem de esperança aos detentos.
Logo depois houve uma solenidade para apresentar o material apreendido durante as vistorias. Em um ano, de junho de 2016 a junho de 2017, foram apreendidos 162 celulares, comprimidos de rupinol e medicamentos controlados, 1 quilo e 300 gramas de maconha e 500g de crack e cocaína. Todo o material foi incinerados no pátio da Casa de Custódia.
O projeto Nortear funciona por meio de intervenções de psicólogos e busca melhorar a saúde de pessoas privadas de liberdade que estão em processo de abstinência de substâncias psicoativas. 
A coordenadora de Psicologia Prisional da Secretaria de Justiça, Olívia Normando, informou que o projeto surgiu a partir da necessidade de se apresentar soluções para a dependência de drogas no sistema prisional.
cidadeverde.com