Publicidade

Publicidade

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Suposto 'cracker' rouba aposentadorias e faz mais de 100 vítimas em Teresina

Contas do Santander foram invadidas e vítimas tiveram benefício retirado integralmente, assim que dinheiro foi creditado na conta.
A delegada titular da Delegacia do Idoso, Daniela Barros, informou que a polícia trabalha com duas hipóteses sobre o crime que fez pelo menos 100 vítimas em Teresina. A primeira é de que a segurança do banco foi invadida. A segunda é de que bandidos tenham colocado uma "chupa-cabra" no caixa de auto-atendimento para fazer a clonagem dos cartões.
Daniela Barros lembra que em 2015 houve um fato semelhante, vitimando cerca de 80 idosos. "Os clientes afetados foram de apenas uma instituição financeira. É preciso que a empresa melhore a segurança do seu sistema, pois o alvo é novamente pessoas idosas, que têm apenas essa fonte de renda. O problema causa um desconforto muito grande", afirma a delegada.
Ela orienta que as vítimas não deixem de registrar Boletim de Ocorrência. "A polícia vai providenciar, junto ao banco, o imediato ressarcimento do dinheiro, pois tudo indica que houve falha na segurança da instituição", conclui Daniela.
Vários idosos estão registrando Boletim de Ocorrência na delegacia especializada, após terem suas contas saqueadas. O dinheiro da aposentadoria dos clientes do Santander foi automaticamente debitado, poucos minutos depois de ter sido creditado. A movimentação também foi grande na agência do banco, no centro de Teresina. As pessoas buscavam informações sobre como proceder.
As informações preliminares são de que o problema teria sido causado pela ação de crackers (especialista que usa os conhecimentos para praticar crimes virtuais), que atuam preferencialmente no início da manhã, de Salvador e de Fortaleza.
De acordo com um funcionário da Delegacia do Idoso, mais de 100 pessoas já registraram Boletim de Ocorrência somente nesta sexta-feira (02) e mais vítimas continuam chegando. O problema está ocorrendo desde segunda-feira, só hoje (02) atingiu mais vítimas. O delegado João Paulo Lima está colhendo os depoimentos dos idosos.
A situação da aposentada Maria Antônia Teixeira Melo é bastante complicada. Ela conta que a primeira vítima do crime foi o seu marido, ainda na manhã de ontem, e hoje foi ela. “Ontem meu esposo não recebeu e disseram que [o dinheiro] já tinha saído tirado em Fortaleza, às 6 da manhã. Hoje eu fui, e disseram que tinha sido tirado em Salvador, às 6 da manhã. O horário é um só”, comenta a aposentada.
Maria Antônia relata que funcionários do banco a informaram que seu cartão havia sido clonado. “Agora fiquei sem benefício, meu marido sem benefício... e aí?”.
O Biomédico André Araújo, filho de uma aposentada que foi vítima do golpe, afirma que foi com a mãe sacar a aposentadoria e descobriu que estava sem saldo. "Pedimos ajuda a uma funcionária do banco, e ela me informou que o dinheiro foi sacado em Salvador, Bahia, e que nos dirigíssemos até uma delegacia para registrar o B.O. Só isso que elas não nos informou", relata André. "O valor roubado é o integral, um salário mínimo. A funcionária informou que o saque foi feito hoje, às 6h da manhã". 
Para André Araújo, o banco informou que sua mãe será ressarcida em 10 ou 15 dias. "E aí, será que o banco vai arcar com algum juro, ou multa? Minha mãe vive desse benefício. Com certeza vão ter contas dela que vão atrasar por conta disso. Tem contas a vencer dia 5, dia 10...", contesta o biomédico.
A gerência do banco impediu a reportagem de apurar informações junto aos clientes que estavam na agência, e se recusou a fornecer qualquer informação sobre o caso. Alguns idosos foram orientados a não falarem com a imprensa. Segundo um dos funcionários, que não quis se identificar, o problema já foi solucionado. 
A delegada Daniela Barros, titular da Delegacia do Idoso, informou que está primeiramente registrando os boletins de ocorrência de todas as vítimas. Segundo a delegada, sem contar com os idosos que foram hoje à delegacia, já há cerca de 95 vítimas do golpe. 
A delegada conta que este não é o primeiro caso ocorrido no Piauí. Segundo Daniela Barros, em 2015 uma outra instituição financeira foi alvo de um golpe similar. "No caso de 2015 foram 80 vítimas, em um golpe similar. Com o Santander é a primeira vez", comenta.
Fonte: Portal ODIA