.Publicidade

.Publicidade

domingo, julho 09, 2017

Homem luta com policiais militares para não ser abordado, em Parnaíba

Uma guarnição da Companhia Independente de Policiamento Turístico (CIPTUR), comandada pelo sargento Brito tendo como patrulheiro, o soldado Marcos Araújo, abordou Manoel Francisco de Assis, conhecido “Pezão”, por volta das 13h de sábado (08/07), no municio de Luís Correia, quando mesmo ficou revoltado ao ser abordado, sendo que “Pezão” está na condicional.
O homem travou luta corporal com os policiais, que tiveram de algemá-lo. Manoel foi levado para a Central de Flagrantes por desacato. Segundo informou a polícia, quando por volta das 06h deste domingo (09/07), Manoel Assis passou pela mesma guarnição encarando e sorrindo em deboche.
Abordagem policial
A polícia pode abordar as pessoas e revistá-las sempre que presenciar alguma atitude suspeita. Se você for parado pela polícia e nada deve, fique calmo e não corra; deixe suas mãos visíveis e não faça nenhum movimento brusco; não discuta com o policial nem toque nele; obedeça ao comando do policial; não faça ameaças ou use palavras ofensivas.
Não é crime andar sem documentos, mas recusar-se a se identificar é contravenção penal que pode render multa e prisão. Forneça ao policial dados que auxiliem a sua identificação. Quando de uma abordagem policial você pode saber a identificação do policial; ser revistado apenas por policiais do mesmo sexo que você; acompanhar a revista de seu carro e pedir que uma pessoa que não seja policial a testemunhe; ser preso apenas por ordem do juiz ou em flagrante, tem direito a não falar nada além de sua identificação, de avisar a família e contatar advogado; não ser algemado se não estiver sendo violento ou tentando fugir da abordagem.
Se algum policial desrespeitar os seus direitos, anote o nome, a identificação e a aparência dele, o número da viatura em que ele estava e o nome das testemunhas que presenciaram os fatos. Em casos de ser vítima de violência, tortura, extorsão, maltrato, discriminação ou humilhação praticados por policiais, deve procurar a Ouvidoria de Polícia.
Por Daniel Santos
Portal Costa Norte