.Publicidade

.Publicidade

quarta-feira, julho 26, 2017

Polícia do Piauí não contabiliza em seus balanços combate à corrupção

Dos mais de 100 inquéritos existentes no GRECO, população não sabe quantos indiciamentos ocorreram
- É vergonhosa a atuação da Polícia Civil no combate à corrupção. Quando essa situação vai mudar, com a oferta de mais estrutura, e, acima de tudo, ação?
- Veja documento revelador ao final da matéria. Em 2015 existiam 120 inquéritos no GRECO sobre corrupção. Mas quantos foram indiciados, quantos foram concluídos? Ninguém sabe!
Quando daqueles anúncios oficiais por parte da Segurança Pública do Piauí, feitos anualmente sobre a quantidade de roubos, roubos de carro, assaltos a banco, latrocínios, homicídios, o aparato institucional não inclui o que faz para combater a corrupção, ou quantos inquéritos foram concluídos levando-se em conta essa chaga que assola de norte a sul, leste a oeste o estado do Piauí.
Por exemplo, desde a revelação por parte do Blog Bastidores, em 2016, de que no final de 2015 existiam, só no GRECO, cerca de 120 inquéritos complexos parados cujo bojo era a corrupção, a Secretaria de Segurança Pública e a Polícia Civil nunca vieram à tona para dizer se esses 120 inquéritos foram concluídos ou não, e em que situação estavam. Não há transparência.
Um deles, dizia respeito à investigação contra o ex-prefeito de São Julião, José Francisco de Sousa, acusado de assaltar a previdência do município em mais de R$ 1 milhão, e acusado de mandar matar o vereador do município, Manoel Emídio, que chegou a ser enterrado vivo, após expor esse caso.
Esse processo, ao menos, foi remetido do Tribunal de Justiça à comarca de Fronteiras, em virtude da perda do foro privilegiado do ex-gestor, que está solto. Em tese estaria andando, ainda que a passos lentos.
Mas há uma total falta de prioridade por parte da Secretaria de Segurança Pública no combate à corrupção. Isso desde o início de 2015, início da atual gestão. Se bem que antes também, a situação não era das melhores, já que o acúmulo vem de gestores outros. O Piauí, ao que aparenta, historicamente, nunca teve uma Polícia Civil atuante no combate à corrupção.
Abaixo o ofício do delegado do GRECO, Kleydson Ferreira da Costa Silva, que foi enviado para o delegado-geral de Polícia Riedel Batista, e serviu como base das explicações repassadas ao desembargador Erivan Lopes, hoje presidente do Tribunal de Justiça do Piauí, que cobrou sobre a morosidade do inquérito envolvendo a denúncia contra o ex-prefeito de São Julião.
VEJA O DOCUMENTO EXCLUSIVO:________________
             Fonte: 180 Graus