Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

sexta-feira, julho 07, 2017

Polícia Rodoviária Federal reduz policiamento por falta de verbas; VEJA O VÍDEO

Polícia Rodoviária Federal (PRF) anunciou redução no policiamento das estradas federais por falta de verbas. Em nota divulgada na noite de terça-feira (4), a corporação informou que haverá diminuição do patrulhamento com viaturas, suspensão de resgates aéreos e fechametno de unidades pelo país (veja a lista completa mais abaixo).

As restrições entram em vigor imediatamente e devem afetar todas as atividades da PRF em território nacional, com exceção do Espírito Santo, onde as fiscalizações nas estradas serão mantidas.
A PRF ainda não possui um detalhamento de quais atividades ficam suspensas em cada estado. O Ministério da Justiça informou que não irá se manifestar sobre o tema. O G1 aguarda retorno do Ministério do Planejamento.
Veja as atividades afetadas:
Suspensão, a partir desta quinta-feira (6), dos serviços de escolta de cargas superdimensionadas e escoltas em rodovias federais;
Suspensão imediata das atividades aéreas (policiamento e resgate);
Redução imediata dos deslocamentos terrestres de viaturas em patrulhamento;
Desativação de unidades operacionais;
Alteração do horário de funcionamento das unidades administrativas, com priorização de atendimento ao público entre 9h e 13h;
Prioridades
Na prática, ficam suspensas as rondas em todas as rodovias. Segundo a PRF, serão priorizados os atendimentos a acidentes com vítimas, os deslocamentos em casos de crime e de auxílios que sejam de competência exclusiva da Polícia Rodoviária.
Nos próximos dias, será divulgado um cronograma com o fechamento dos postos da PRF em todo o Brasil. As dez aeronaves que prestam auxílio a vítimas de acidentes, entre outras funções, ficam desativadas.
A PRF diz que os cortes de serviços decorrem de um contingenciamento de verbas decretado pelo governo federal em março deste ano, e que buscará diminuir o prejuízo no atendimento de ocorrências emergenciais.
As dez aeronaves que prestam auxílio a vítimas de acidentes ficam desativadas. (Foto: Ascom/PRF)
Fonte:G1