.Publicidade

.Publicidade

domingo, agosto 06, 2017

Com 38 votos de vantagem, candidato a prefeito vence pleito suplementar em Miguel Leão - PI

Roberto César de Area Leão Nascimento é eleito prefeito de Miguel Leão (Foto: Arquivo pessoal)
Um total de 1.320 eleitores compareceram ás urnas. Houve cinco votos em branco e 27 nulos.
Foi concluída pouco antes das 18 horas deste domingo (6) a apuração dos votos do pleito suplementar realizado no município de Miguel Leão, e o vencedor foi o candidato Roberto César de Area Leão Nascimento (PR), o "Robertinho", que integrou a chapa “Renovar é Preciso”, juntamente com o candidato a vice-prefeito Gonçalo Batista dos Santos (PP).
Eles derrotaram a coligação “Para Continuar Crescendo", que teve como candidatos Jailson Sousa (PT) e Evandro Roberto Silva (PSD), a prefeito e a vice, respectivamente.
Distante 95 km de Teresina, o município de Miguel Leão tem 1.474 eleitores aptos a votar, conforme dados da Justiça Eleitoral. E o placar da eleição foi bastante apertado: Roberto César recebeu 663 votos, enquanto Jailson teve 625 sufrágios - uma diferença de apenas 38 votos.
Um total de 1.320 eleitores compareceram ás urnas. Houve cinco votos em branco e 27 nulos.
A Justiça Eleitoral determinou a realização do pleito suplementar porque em fevereiro deste ano o Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI) confirmou a cassação do mandato do então prefeito, Joel de Lima (PSD), e do seu vice, Jailson Sousa (PT), que foram eleitos em 2016.
Joel de Lima foi condenado pelos crimes de conduta vedada a gestor público, abuso de poder político e econômico. Segundo a acusação, durante a campanha de 2016, Joel, que já era prefeito e disputava a reeleição, participou das inaugurações de um centro de idosos e de um estádio de futebol na cidade, pratica proibida durante a campanha.
Joel de Lima foi o primeiro prefeito eleito em 2016 que teve o mandato cassado pela Justiça Eleitoral do Piauí. Além da perda do mandato, ele foi condenado ainda à pena de inelegibilidade por oito anos.
Já o vice de Joel, Jailson Sousa, embora também tenha sido cassado, pôde registrar sua candidatura a prefeito no pleito suplementar porque não sofreu a pena de inelegibilidade.
A eleição foi coordenada pelo juiz eleitoral Carlos Alberto Bezerra Chagas, titular da 58ª Zona Eleitoral, sediada no município de Monsenhor Gil. E teve, ainda, a supervisão do promotor de Justiça Maurício Verdejo Gonçalves Júnior.
Fonte: Portal ODIA