segunda-feira, agosto 14, 2017

Suspeito da morte do capitão da PM foge de penitenciária no Piauí

Preso desde o dia 28 de julho, o suspeito de participar do assassinato do capitão Antônio Carlos Pinto de Farias, da Polícia Militar do Piauí, conseguiu fugir da Colônia Agrícola Penal Major César Oliveira, localizada em Altos, a cerca de 40 km de Teresina. Segundo a Secretaria Estadual de Justiça (Sejus), a fuga aconteceu na última quinta-feira (10).
O detento, identificado como Márcio Douglas Lima Vasconcelos, estava preso por roubo e porte ilegal de arma de fogo e ainda se encontra foragido. Em nota, a gerência da Major César informou que comunicou aos órgãos de segurança pública para realizarem os procedimentos de buscas. A gerência informou, ainda, que a Secretaria de Justiça do Estado também foi comunicada para que adote as providências necessárias. 
Essa é a segunda fuga do sistema prisional piauiense em menos de uma semana. No domingo (13), duas detentas, identificadas como Osmarina dos Santos e Cristiane de Brito Sousa, fugiram da Penitenciária Feminina de Teresina. A gerência da Penitenciária Feminina de Teresina informou, por meio de nota, que estão sendo feitas diligências para capturar as duas detentas. A ocorrência também foi comunicada à Secretaria de Justiça do Estado, que está investigando as circunstâncias em que se deu a fuga e colaborando nas buscas.
Entenda o caso
Márcio Douglas Lima Vasconcelos foi preso no último dia 28 de julho, ao se entregar na Central de Flagrantes de Timon, por ser apontado como participante do assassinato do capitão Antônio Carlos Pinto de Farias. De acordo com a PM, ele teria pilotado a motocicleta usada pela dupla no dia do crime. Segundo investigadores da Polícia Civil do Maranhão, Márcio Douglas disse que decidiu se entregar com receio de sofrer uma represália e acabar sendo morto, dada a grande comoção que o crime provocou na região metropolitana de Teresina, sobretudo entre os policiais militares.
O capitão Antônio Carlos foi assassinado no dia 26 de julho, depois que reagiu a uma tentativa de assalto. O crime aconteceu num restaurante localizado na Avenida Presidente Médici, em Timon, onde o militar estava almoçando. Ao reagir, Antônio Carlos ainda conseguiu atingir um dos suspeitos, mas acabou sendo baleado na cabeça e não chegou sequer a ser socorrido, morrendo no local.
O suspeito que foi atingido pelo disparo da arma do capitão chama-se Francisco das Chagas Fonseca, de 34 anos. Ele foi capturado ainda na quarta-feira, logo após o latrocínio, sendo conduzido até o Hospital de Urgência de Teresina Professor Zenon Rocha (HUT).