terça-feira, setembro 05, 2017

Polícia investiga agressão contra engenheiro em jantar de Lula

A Polícia Civil do Piauí está investigando denúncias de agressão por parte de seguranças de um evento da Executiva Estadual do Partido dos Trabalhadores, realizado no último sábado (02), no clube da Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal (APCEF), na zona leste de Teresina. O engenheiro Herbert dos Santos Matos Júnior, através de seu filho, prestou queixa no 12º Distrito Policial, denunciando que foi agredido fisicamente no evento, um jantar de filiação e recepção ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Segundo o boletim de ocorrência, o engenheiro, que estava no clube da APCEF/PI por ser bancário e sócio, foi agredido fisicamente por cinco seguranças do ex-presidente Lula.
O filho do engenheiro relatou ainda que o pai, além de ser agredido fisicamente dentro do clube, foi jogado na rua onde as agressões continuaram até que ele ficasse desacordado sendo socorrido por uma terceiros. Ainda de acordo com ele, um celular Samsung, um óculos de grau e um carregador portátil de celular do pai desapareceram durante as agressões.
Consta ainda que o engenheiro chegou a ficar internado na UTI do Hospital Prontomed até domingo (03), tendo recebido alta do hospital, na manhã desta segunda-feira (04).
O GP1 conversou com Paulo Roberto, presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Piauí (Crea-PI), do qual Herbert dos Santos é membro. “Ele está todo dolorido, foi muito machucado, tem 12 pontos de um lado da cabeça e 6 de um outro. Ele falou que foi falar uma palavra de ordem, que Lula roubou o dinheiro da Caixa Econômica e virou um pandemônio, os seguranças chegaram, tiraram ele de lá e bateram. Eu recebi a ligação de uma pessoa que viu todo o episódio e teve que intervir para pararem de bater, porque eles estavam batendo para matar. Eram cinco [homens] de dois metros de altura”, declarou.
Em entrevista ao GP1, o delegado Ademar Canabrava, titular do 12º, informou que intimará os envolvidos e que o engenheiro será submetido a um exame de corpo de delito nessa terça-feira (05). “Ele vai fazer [o exame] amanhã e o advogado vai trazer o nome das pessoas, dos seguranças e localizar as testemunhas”, afirmou.
Nota de repúdio
O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Piauí (Crea-PI) emitiu uma nota de repúdio ao caso, assinada por outras entidades.</p>
Leia na íntegra:
O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Piauí e as entidades de classe da engenharia repudiam as agressões sofridas pelo engenheiro e conselheiro deste Regional, Herbert dos Santos Matos Júnior, durante ato político no último fim de semana, em Teresina, ao tempo em que reafirma sua confiança nas instituições de segurança pública para uma célere investigação sobre o ocorrido. O Crea-PI disponibilizará sua assessoria jurídica ao conselheiro, e se empenhará para que tudo seja esclarecido e os responsáveis pela agressão penalizados.
O Crea-PI e as entidades abaixo relacionadas condenam toda e qualquer forma de violência, e acredita que o diálogo, a pluralidade de pensamentos e a liberdade de expressão, respeitando os princípios constitucionais, são elementos fundamentais para o fortalecimento da democracia e o desenvolvimento da nossa sociedade.
Assinam esta nota:
Sindicato dos Engenheiros do Estado do Piauí (Senge-PI)
Clube de Engenharia do Piauí (Cepi)
Associação Brasileira do Engenheiros Civis (Abenc-PI)
Associação Profissional dos Geólogos do Piauí (Agepi)
Associação Profissional dos Engenheiros de Picos (Aspenp)
Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia (Ibape-PI)
A Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal (APCEF) também se pronunciou por meio de nota.
Nota na íntegra:
A Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal do Piauí - APCEF/PI vem através desta, tornar público que, referente ao incidente ocorrido no último dia 2 de setembro, durante visita do ex presidente Lula em Teresina, a diretoria esclarece:
O Clube da APCEF, como qualquer outro, no uso de suas atribuições, foi locado pela empresa contratante e teve todas as taxas pagas para realização de um evento particular (privado), que foi o jantar oferecido pelo partido dos trabalhadores, ao ex-presidente.
Ressaltamos que, a responsabilidade do evento, tais como taxa de acesso, ingressos, seguranças, operacionalização e logística do evento é de total RESPONSABILIDADE DO CONTRATANTE.
Diante do exposto, a APCEF/PI repudia todo e qualquer ato de violência, seja dentro ou fora das dependências do clube e se solidariza com o engenheiro Herbet Matos, empregado da caixa, que segundo os noticiários locais sofreu violência física ao externar suas ideologias políticas contrárias ao partido.
Sem mais para o momento, a APCEF/PI frisa seu compromisso com os seus associados e reafirma seu papel na sociedade piauiense.
MARIA DA GLÓRIA ARAÚJO SILVA
PRESIDENTE DA APCEF - PI
Outro lado
Em entrevista ao GP1, na noite desta segunda-feira (04), o vereador e membro do Diretório Estadual do PT, Dudu, disse que não presenciou o fato: "Eu não tenho informação de como foi, porque eu não estava na hora, eu não vi, mas a segurança faz a parte dela, tenho a convicção de que a segurança não vai agredir ninguém por nada não, tem que ver o que ele tentou fazer, e como a gente estava preocupado com coisa maior, a gente não viu isso", declarou.
O vereador também criticou o fato do engenheiro ter hostilizado o ex-presidente: "Uma coisa é certa, se você não gosta, se você defende o outro lado, se você é contra o PT e o governo Lula, não é de bom tom você ir para uma atividade do partido, uma atividade do ex-presidente Lula, a não ser ficar ali agredindo e achar que aquilo é normal. Acho que se eu sou flamenguista eu não posso ir para a torcida do Vasco hostilizar os vascaínos e vice-versa", disparou.
Repercussão
O caso do engenheiro ganhou repercussão no site nacional "O Antagonista", que publicou uma matéria sobre o caso. O site também conversou com o delegado Ademar Canabrava.
Fonte: GP1