quarta-feira, setembro 20, 2017

TRT Piauí vai leiloar vacas leiteiras apreendidas de devedores trabalhistas

O leilão judicial é uma ferramenta da Justiça do Trabalho para garantir o pagamento de dívidas trabalhistas. Entre os bens leiloados também há casas e terrenos industriais.
O Tribunal Regional do Trabalho da 22ª Região (TRT-PI) vai realizar, na próxima sexta-feira (22) o leilão de seis vacas liteiras e paridas, da raça Girolando. Os animais têm uma produção diária de 15 litros de leite e foram avaliados em R$ 3 mil cada. Eles fazem parte da lista de bens apreendidos de devedores trabalhistas e o dinheiro arrecadado será usado para pagar dívidas de processos que já foram julgados, mas nos quais a parte vencedora ainda tem dificuldades em receber o que lhe é de direito.
O leilão faz parte da Semana Nacional da Execução Trabalhista e entre os itens a serem expostos, estão também casas, terrenos, carros, aparelhos de ar-condicionado, climatizadores industriais, equipamentos eletrônicos e até um transmissor de radar FM de 10 KW, avaliado em R$ 22 mil.
Será leiloado também um conjunto de edificações que compõem a Indústria e Comércio de Revestimento Cerâmico S/A (Incesa), com mais de oito hectares de área construída, situada na PI-130, entre Teresina e Palmeirais. Este imóvel foi avaliado em R$ 1,7 milhão.
Segundo Cláudio Mascarenhas Brandão, ministro do TST e coordenador da Comissão Nacional de Efetividade de Execução Trabalhista, não há outra solução para aquele devedor que não consegue resolver sua pendência. “Temos que utilizar os meios legais que a lei coloca à disposição do juiz a fim de que se possa, por medidas mais duras, fazer com que a sentença tenha cumprimento”, explicou Mascarenhas.
O leilão também representa uma oportunidade legítima para que as pessoas possam adquirir um imóvel, automóvel ou um terreno qualquer por um preço abaixo do encontrado no mercado. Vale lembrar ainda que os proprietários podem ainda retirar os bens antes de o leilão acontecer, desde que paguem as dívidas trabalhistas.Por: Maria Clara Estrêla, com informações do TRT-PI
Fonte: Portal ODIA