quinta-feira, setembro 21, 2017

Wellington Dias (PT) diz que finanças do Estado chegam no “osso” e anuncia novos cortes

O governador Wellington Dias (PT) anunciou na manhã desta quinta feira (21) que o governo do Estado vai adotar novos cortes - o terceiro dos últimos anos - para evitar o colapso nas finanças.
Ao participar de solenidade que instituiu a carnaúba com árvore símbolo do Piauí, o governador informou que o Estado foi notificado pelo Tesouro Nacional e pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) por ter ultrapassado o limite prudencial de gastos públicos da Lei Responsabilidade Fiscal.
“Vamos ter que apresentar um novo plano, pois fomos notificados. Para se ter uma ideia, perdemos nos últimos meses R$ 166 milhões de receita partilhada com a União. Há uma necessidade de adotar medidas com o objetivo principal de não atrasar salários”, alertou o governador.
Wellington Dias afirmou ainda que pediu ao Comitê de Receitas e Despesas, que é considerado a cúpula econômica do governo, para que apresente medidas de contenção de gastos.
Além disso, o gestor admitiu que é um momento desafiador. “Confesso que não é fácil quando a gente topa no osso, e vamos ter que adotar medidas urgentes”.
Audiência em Brasília
Wellington Dias informou que os governadores vão focar em ações integradas para combater a insegurança nos Estados. Ontem os governadores estiveram reunidos com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), onde foi anunciado que o governo vai fazer um amplo movimento para combater a entrada de armas e o tráfico de entorpecentes nas fronteiras no país.
Reajuste
Com a crise financeira, o governador voltou a descartar a possibilidade de reajuste salarial. 
"Desde que recebi a notificação do Tesouro Nacional não é possível qualquer aumento de despesa de pessoal, alias pela situação a gente quer segurar outras despesas também durante o ano de 2017".
Dias afirmou que irá trabalhar com duas alternativas. Uma de aumentar as receitas e a outra seriam os cortes nas despesas. 
Uma das medidas de aumentar a receita é conseguir junto ao governo federal os R$ 800 milhões pela federalização da Cepisa. O governo ingressou com ação no STF (Supremo Tribunal Federal) para barrar a privatização. Outra medida, segundo o governador, é realizar um leilão de ativos.
Pulando a cerca
Com seu otimismo peculiar, o governador participou da solenidade de assinatura do decreto que oficializou a carnaúba como árvore símbolo do Estado. No evento, ele quis visitar as margens do rio Poty, mas foi impedido por uma barra de proteção. No entanto, ele se abaixou e conseguiu atravessar o obstáculo sob o espanto dos presentes. Ao retornar, o governador novamente teve que fazer malabarismo. Sob o olhar da vice-governador Margarete Coelho, Wellington Dias pulou a barra de proteção. Após o esforço, o governador brincou: "isso é pular cerca". A vice-governadora reagiu afirmando que a atitude do governador também é conhecida como "passadiço". 
Cidade Verde