.Publicidade

.Publicidade

sábado, novembro 18, 2017

Capitão é afastado após 'prender' em delegacia cavalo acusado de dar coice em veículo; VÍDEO

O capitão da Polícia Militar, Vagno Passos, comandante do policiamento no município de Nossa Senhora Aparecida (SE) foi afastado de suas funções apó sum cavalo ficar ‘preso’ na delegacia da cidade por ter dado um coice em um veículo durante cavalgada no último domingo (12).
Assista o vídeo:
                                              Cavalo preso em cela
A Polícia Militar do Estado de Sergipe informou em nota que o Comando da PMSE determinou que o oficial permanecesse trabalhando normalmente na sede do 3º BPM, em Itabaiana, até a conclusão da rigorosa apuração refere à denúncia de maus tratos supostamente sofridos pelo animal e as circunstâncias que motivaram a ação policial. A decisão foi anunciada pela Secretaria de Segurança Pública de Sergipe (SSP/SE) na manhã desta terça-feira (14).
O capitão havia se pronunciado sobre o caso e disse que o cavalo passou a noite na delegacia, de domingo para segunda, porque o proprietário se recusou a admitir a responsabilidade e culpou a motorista por ter estacionado na área do evento.
“O cavalo deu um coice na porta de um veículo, sendo utilizado como meio para cometer o crime de dano. E foi conduzido à delegacia para que fosse realizado o procedimento”, disse.
O dono do animal, Wiliam Francisco dos Santos, ressaltou que estava em uma vaquejada no último domingo (5) quando algumas pessoas pediram o animal emprestado. “Como sou conhecido de muitas pessoas, não vi problema em emprestar. Um rapaz saiu para dar uma volta e o cavalo se assustou e deu um coice, que atingiu o veículo de uma mulher da cidade de Ribeirópolis. Em seguida, um policial pegou o cavalo e o levou para a delegacia”.
Ele disse que se ofereceu para levar o animal, mas o policial se recusou e informou que ele só seria liberado nesta segunda-feira (13). “Quando eu cheguei na delegacia o cavalo estava em uma cela, como se fosse um marginal. Ele estava sem comida, sem água e em um espaço onde não podia ser mexer. A noite eu levei comida, mas na segunda de manhã não me deixaram alimentá-lo”.
William disse que vai custear os danos materiais causados pelo coice do cavalo no veículo.
O capitão negou que o animal sofreu maus tratos, mas admitiu que ele passou a noite na delegacia e foi liberado na segunda-feira (13), após o dono assinar um termo de responsabilidade sobre o animal e sobre o dano provocado por ele.
''Ele ficou em uma área de serviço, recebeu água, alimento e não foi maltratado. Não ficou na área externa por questões de segurança, pois poderia ser roubado. O proprietário do animal assinou um termo de responsabilidade sobre o dano e o cavalo, e o animal foi solto”, finalizou.
No início da tarde desta terça-feira (14), o proprietário de Faceiro, como é chamado o animal, enviou um foto do cavalo em um sítio.
Fonte: Meio Norte