.Publicidade

.Publicidade

sábado, novembro 04, 2017

Comandante da PM pede desculpas a família de jovem assassinada por capitão; VÍDEO

O coronel Carlos Augusto de Souza, comandante da Polícia Militar do Piauí, pediu desculpas nesta sexta-feira (3) a família da estudante Camilla Abreu, 21 anos, que foi assassinada pelo capitão da PM, Alisson Wattson na última quinta-feira (25). Em nome da corporação, ele lamentou a morte da estudante que classificou como uma verdadeira tragédia, e garantiu que irá cobrar para que a Justiça seja feita.
"Seu Jean (pai de Camilla) se eu pudesse, eu lhe pediria desculpas. Pediria desculpas em nome da instituição. Agora eu quero lhe dar uma garantia que todas as medidas que cabem a um comandante fazer dentro da legalidade nós iremos fazer. Não descansaremos um só minuto e um só momento", declarou o comandante em mensagem à Jean Carlos, pai de Camilla.
Durante entrevista ao Jornal do Piauí desta sexta-feira (03), o coronel fez um desabafo em relação aos ataques sofridos pela corporação após o crime cometido por Alisson. O comandante salientou que assim como ele, há inúmeros outros policiais em serviço que não estão aptos para ele, mas por medidas judiciais conseguem ingressar nos quadros da PM, causando uma insatisfação na corporação, mas reforça que apesar dos problemas tem lutado constantemente pela segurança do Piauiense.
"São as leis que permitem, por exemplo, uma pessoa como ele entrar para a tropa. Reprovado no exame psicológico não deveria ter nem possibilidade. Quem recorre contra isso, é o Estado através da procuradoria. O fato é que ontem foi a Camilla e amanhã será um dos nossos filhos e filhas. Não foi a Polícia Militar que inscreveu o capitão na PM - não é a polícia militar que pune. Nós somos pessoas de bem.", desabafou o comandante.
Resposta à Senador
Em Teresina esta semana, o senador Magno Malta, convocou teresinenses para uma manifestação na próxima quarta-feira (8) na frente do Comando Geral da Polícia Militar. Em resposta, o comandante garantiu que irá oferecer reforço para garantir a segurança e reforçou que a Polícia tem trabalhado constantemente contra atos criminosos como esse. 
"A morte da Camilla dói também em nós cidadãos de bem. Não existe culpado além da pessoa que apertou ao gatilho e se existir. Eu tenho certeza da Polícia que eu coando e são homens e mulheres valorosos e de bem que defendem a sociedade com o sacrifício da própria vida todos os dias nesse Estado e morremos também através da violência. O que queremos dizer é a verdade e chega de fazer demagogia num momento como esse da família e tem várias pessoas", completou.
Em seu desabafo, coronel Carlos Augusto criticou ainda a falta de mudança na legislação e no sistema penal, que para ele, está defasado e não acompanha as evoluções da sociedade.
"O culpado é o sistema, que precisa de uma reforma urgente. Hoje em dia nós temos sujeito que já matou dez vezes e continua solto. Isso é inadmissível. Nós clamamos pela reforma como cidadão. Nosso código é de 1941 e diante de novidade ainda temos leis arcaicas. Isso não é possível. Quem mata e quem trafica não pode retornar as ruas. Este é o país que mais mata pessoas. Nós temos que buscar um plano nacional de segurança pública", concluiu.
cidadeverde.com