.Publicidade

.Publicidade

terça-feira, dezembro 05, 2017

Presas cavam buraco e tentam fugir de penitenciária feminina no Piauí

Diretora da unidade prisional denuncia superlotação, onde 146 presas dividem um espaço que tem a capacidade para somente 86 detentas, e má conservação do prédio. A novela do sistema penitenciário do Piauí continua – dessa vez, envolvendo o presídio feminino, localizado ao lado da Casa de Custódia, na BR-316, em Teresina. Na madrugada desta segunda-feira (04/12), três internas cavaram um buraco na cela 5 do pavilhão B para empreenderem fuga, porém foram surpreendidas por uma ronda de rotina das agentes penitenciárias.
A identidade das envolvidas na fuga não foi revelada porque um levantamento sobre a ocorrência da fuga inda está sendo apurado, conforme explicou ao OitoMeia a diretora do presídio, Cristiane de Praga. “A situação física do prédio está como os demais do Piauí, ou seja, bastante deteriorada. Algumas notificações já foram feitas à Secretaria de Justiça [Sejus]”, explica.
Outro destaque do presídio feminino é a superlotação, onde 146 presas dividem um espaço que tem a capacidade para somente 86 detentas. Em média, sete mulheres dividem a mesma cela, conforme denuncia a diretoria do local à reportagem.
“Estou com seis dias que assumi a diretoria do presídio feminino. O meu propósito é melhorar essas questões da situação física do presídio e comportamental das detentas. Já conversei com o secretário Daniel Oliveira e ele demonstrou total apoio às mudanças que quero implantar no presídio”, salienta Cristiane.
O secretário Daniel Oliveira informou ao OitoMeia que todas as demandas institucionais da pasta são respondidas pelos assessores de comunicação. A assessoria de imprensa, por sua vez, informa que medidas disciplinares e um procedimento administrativo será aberto para investigar o ocorrido.
Fonte: Oito Meia