sexta-feira, março 09, 2018

Radialista que atropelou e matou garçom vai a júri popular após 8 anos do crime, no interior do Piauí

          Acusado chegou escoltado pela polícia (foto: Piripiri Repórter)
O julgamento do radialista Ivan Carlos Carvalho Panichi terminou no começo da noite desta quinta-feira (8). Ele foi condenado a 7 anos de prisão, sendo um ano em regime semiaberto. A sentença foi lida pela juíza Luciana Cláudia Medeiros de Sousa por volta das 18h. A defesa irá recorrer do julgamento.
Matéria original
               Vítima era muito querida na cidade (foto: arquivo pessoal)
O julgamento do acusado de matar o garçom João Antônio dos Santos, conhecido como João Fidelis, acontece, nesta quinta-feira (08), pelo Tribunal do Júri na Comarca de Piripiri, após quase oito anos do crime. O radialista Ivan Carlos Carvalho Panichi já foi interrogado e algumas testemunhas ouvidas. O caso é considerado o primeiro júri popular por morte no trânsito no Piauí. O julgamento já chegou a ser adiado por duas vezes. 
O crime ocorreu no dia 11 de setembro de 2010. Ivan Panichi conduzia um veiculo quando atropelou o garçom, na BR-343, em Piripiri. O caso gerou grande repercussão na época. Após o acidente, Ivan chegou a ser flagrado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em um bar; ele foi preso em flagrante. A vítima morreu no local. 
Ivan Panichi chegou ao local do julgamento escoltado pela Polícia Militar. Ele foi recebido sob gritos de “Justiça” pelos que estavam presentes.
O júri popular acontece no auditório da Câmara Municipal de Piripiri, pois a quantidade de pessoas que acompanha o processo não comportava no fórum local.
O filho da vítima, Georliton Alves, contou ao Cidadeverde.com que a espera foi longa até esse julgamento, mas a família está na expectativa do acusado ser condenado e paga pelo crime que cometeu.
“Estamos na expectativa dele ser condenado e, após a condenação, agora vai ser só a gente cuidar da saudade do nosso pai. A gente espera que essa condenação faça com que outras pessoas não passem pelo que nossa família está passando”, desabafou Georliton. 
"É o primeiro júri popular do estado do Piauí em crime de trânsito. Através desse do meu pai, entrou o do caso dos irmãos do Salve Rainha, que também vai a júri, mas foi depois do caso do meu pai", acrescentou o filho da vítima.
Fonte: Cidade Verde