Publicidade

Publicidade

quarta-feira, abril 04, 2018

Força Aérea investiga queda de helicóptero que matou dois médicos piauienses

A Força Aérea Brasileira enviou equipes ao município de Rosário, no Maranhão, para investigar as causas da queda do helicóptero que matou quatro pessoas, entre elas dois médicos piauienses. 
A aeronave caiu no último domingo no povoado Bom Tempo em Rosário e entre as vítimas estão os médicos José Cleber Luz Araújo, Jonas Eloi da Luz, Rodrigo Capobiongo Braga e o piloto Alfredo Oliveira Barbosa Neto.
Em nota, o Primeiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA I), órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) informa que as investigações estão em curso.
"A ação inicial é o começo do processo de investigação e possui o objetivo de coletar dados: fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de pessoas que possam ter observado a sequência de eventos", informou a nota.
Em seguida do comunicado explica: " A necessidade de descobrir todos os fatores contribuintes garante a liberdade de tempo para a investigação. A conclusão de qualquer investigação conduzida pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), órgão subordinado ao Comando da Aeronáutica, terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade do acidente. O objetivo da investigação realizada pelo CENIPA é prevenir que novos acidentes com características semelhantes ocorram". 
O helicóptero modelo Robinson R44 de matrícula PP-WVR. O jornal Estado do Maranhão informou hoje que delegado ouviu um morador do povoado Nambuaçu de Cima que teria visto o acidente. “Essa testemunha é de suma importância para tirar as dúvidas sobre a queda dessa aeronave”, explicou o delegado Murilo Tavares.
Problema anterior
O jornal Estado do Maranhão divulgou também que a aeronave já havia tido um pane no motor em novembro de 2011 e no momento era pilotada pelo policial civil Alfredo Neto que conduzia três passageiros. O helicóptero havia saído de São Luís com destino à praia de Camocim, no estado do Ceará.
A aeronave devido ao problema fez o pouso forçado na praia de Atalaia, na cidade de Luís Correa. Não houve registro de feridos. Segundo o jornal, a direção do aeroporto da cidade piauiense de Parnaíba foi informada dessa ocorrência.
A aeronave de modelo Robinson 44 é muito utilizada no país. Segundo o Seripa, corresponde por quase um terço dos casos de acidente aéreo nos
últimos 10 anos.
De 2008 até 2017, foram 56 acidentes com 22 mortes envolvendo esse tipo de aeronave, ocasionado por perda de controle em voo e colisão em voo com obstáculos
 (Com informações do Seripa I I e Estado)