sexta-feira, agosto 31, 2018

Superintendente da Semar teria recebido quase R$ 4 milhões em propina

O superintendente da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Piauí (SEMAR), Carlos Antônio Moura Fé, recebeu quase R$ 4 milhões em propina para facilitar o fornecimento de licença ambiental para empresários, segundo apontam as investigações.
                                 Carlos Moura Fé Superintendente da SEMAR 
Segundo informações da TV Clube, o documento apresentado pelas investigações mostra que Carlos Moura Fé recebeu e em oito contas bancárias o referente a R$3.800.687,48 entre os anos de 2015 a 2016, período que os dados bancários foram vasculhados.
Fabrício Napoleão Andrade, Auditor Ambiental da SEMAR, tem sete contas bancárias e nela foi creditada o total de R$1.352.967,53 no período de 2012 a 2016. 
Segundo o delegado Riedel Batista, o esquema tinha como objetivos, facilitar o fornecimento de licenciamentos para empresários, em troca de propina. 
As investigações foram iniciadas em 2015, por meio de uma denúncia anônima feita à Polícia Federal e, posteriormente encaminhada ao GRECO, visando a apuração de ilícitos praticados por servidores da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado do Piauí (SEMAR-PI), tais como desvio de verbas públicas, o uso irregular de bens públicos, emissão de licenças ambientais de forma irregular, dentre outros.
Os prejuízos à administração pública chega a R$3.129.326,04
Fonte: 180Graus