sexta-feira, setembro 07, 2018

Bolsonaro leva facada em atentado durante campanha em Juiz de Fora; VÍDEO

Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência da República, foi esfaqueado durante um ato de campanha em Juiz de Fora, em Minas Gerais na tarde desta quinta-feira, 6. O presidenciável foi atingido no abdômen e, levado para a Santa Casa de Misericórdia da cidade mineira, passou por uma cirurgia de cerca de quatro horas. 
Segundo a equipe médica que operou o candidato à Presidência, ele sofreu lesões nos intestinos delgado e grosso. O quadro dele é “grave, mas estável”. O suspeito do ataque, Adélio Bispo de Oliveira, de 40 anos, foi preso e está custodiado em uma delegacia da Polícia Federal.
Homem suspeito de esfaquear o candidato Jair Bolsonaro, Adélio Bispo de Oliveira, foi filiado durante sete anos ao PSOL.
Após a operação, Jair Bolsonaro foi levado à Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa. Ele já retomou a consciência e recebeu familiares e assessores. Os médicos esperam que ele passe pelo menos de sete a dez dias internado. Uma transferência ao Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, foi solicitada pela família do presidenciável e será analisada nas próximas horas, quando uma equipe do hospital paulistano chegará a Juiz de Fora.
O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, foi atingido por uma faca durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG).
O suspeito é Adélio Bispo de Oliveira, de 40 anos. Nas redes sociais, Adélio fez publicações críticas ao deputado federal. Ele foi preso em flagrante e foi instaurado inquérito policial.
Segundo os filhos do presidenciável, o corte é “superficial”, mas o fígado foi atingido e ele será submetido a uma laparotomia, informaram os parentes à GloboNews. A emissora também mostrou uma imagem que mostra o presidenciável em uma maca, atingido por uma equipe médica.
Vídeos mostram o momento em que ele foi atingido. Veja, abaixo, um deles, publicado pela página Direita Juiz de Fora no Facebook.
Os adversários de Jair Bolsonaro (PSL) na disputa pela Presidência da República condenaram na tarde desta quinta-feira, 6, o ataque sofrido pelo presidenciável. Ciro Gomes (PDT), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB), Geraldo Alckmin (PSDB) e João Amoêdo (Novo), além do vice do PT Fernando Haddad, já se manifestaram.
Fonte: Veja