terça-feira, dezembro 18, 2018

Estudantes da Uespi protestam no Palácio de Karnak e pedem melhorias para a instituição

Estudantes da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) realizaram na manhã desta terça-feira (18) um protesto em frente ao Palácio de Karnak, no Centro de Teresina. Eles reclamavam da aprovação Projeto de Lei do Orçamento do Estado para 2019, realizado nessa segunda-feira (17), na Assembleia Legislativa do Piauí. Além de cobrar mais investimentos para a instituição.
“Os deputados fizeram a votação 'por baixo dos panos'. Disseram que a votação seria hoje e modificaram. Fizeram tudo às escondidas do povo e quando chegamos à 'Casa do povo' encontramos o local de portas fechadas. Os policiais nos trataram mal considerando a gente como vagabundos, mas vamos servir a sociedade”, declarou o acadêmico do curso de Medicina, Aldo Rodrigues.
Depois de três horas protestando em frente ao palácio de Karnak debaixo de sol escaldante, uma comissão de estudantes foi recebida por representantes do governo. De acordo com a estudante Debora Facolnete, colabora DCE, os acadêmicos também apresentarão ao governo uma proposta de autonomia financeira para a instituição.
“Nosso principal objetivo é a dependência financeira da Uespi porque o pouco dinheiro que a instituição recebe nem fica na Uespi. As verbas da instituição ficam a cargo do governo do estado”, disse.
Antes de chegar ao Palácio de Karnak, os estudantes realizaram uma caminhada saindo da ponte Juscelino Kubitschek na Avenida Frei Serafim. O trânsito ficou lento enquanto eles caminhavam pela avenida.
Com cartazes e frases, os estudantes cobravam melhorias para Uespi. "Nossa intenção é conversar com qualquer representante do governo porque já são anos de descaso com a instituição. Atualmente, a situação é tão crítica ao ponto de fechar o curso de Medicina por falta de estrutura e professor. Então, só queremos o melhor e todo a sociedade sairá beneficiada se houver melhorias", comentou, Aldo Rodrigues.
A mobilização dos alunos recebeu o apoio do sindicato dos docentes da Universidade Estadual do Piauí. "Nós estamos apoiando porque o sindicato dos docentes defende a Uespi como uma instituição pública e de qualidade. Nós queremos isso, uma universidade que atenda todos os estudantes que aqui chegaram. Eles estão reclamando da calamidade estrutural da Uespi. O teto está quase desabando, falta professor, falta livro, laboratório”, denunciou a professora Rosângela Assunção.
A professora comentou ainda que a situação da Uespi é precária e, segundo ela, a universidade foi abandonada pelo governo do estado.
“Estamos pedindo mais qualidade de ensino, queremos mais professores porque o número atual não é suficiente para resolver nossos problemas", afirmou Rosângela Assunção, presidente do sindicato dos docentes.
Fonte: G1/PI