sábado, janeiro 05, 2019

Tenente é preso acusado de matar dois policiais militares em Manaus

Dois policiais militares foram mortos após uma discussão dentro de um carro, na madrugada deste sábado (5), em Manaus. De acordo com a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (Dehs), cinco pessoas estavam no veículo: quatro policiais e um homem civil. Dois morreram e os outros dois ficaram feridos. Um tenente da Polícia Militar, que também estava no carro, foi preso em flagrante, suspeito de efetuar os disparos contra os companheiros.
Sargento Edzandro Santos Louzada e cabo Grasiano Monteiro Negreiros morreram após ataque dentro de carro — Foto: Reprodução
O crime ocorreu por volta das 2h, na Rua Monte Horebe, no bairro Colônia Terra Nova, na Zona Norte. O grupo retornava de uma casa de festa quando o tenente suspeito, segundo o Delegado plantonista da Dehs, Daniel Leão Lucas, atirou contra seus companheiros. Ainda de acordo com a autoridade, o homem estava "transtornado" no local do crime.
"Eles estavam em uma casa de show. logo que saíram, aconteceu isso [tiros dentro do carro]. Eles estavam muito alcoolizados. Inclusive, o autor dos disparos, só agora de manhã, está em condições de prestar depoimento. Ele estava transtornado lá no local e aqui na delegacia. Ele alega que o carro foi fechado [por um outro veículo] e que ele sacou a arma e efetuou o disparo para fora. Depois ele fala que apagou e não lembra de mais nada. Mas as vítimas sobreviventes confirmaram que o autor dos disparos foi ele", disse o delegado.
Os policiais que morreram, um sargento e um cabo, tinham, respectivamente, 40 e 36 anos, e trabalhavam em diferentes Cicoms da capital amazonense. Os dois feridos, um major e um civil, têm 40 e 26. Os dois estão estaveis e em observação.
A polícia ainda não tem detalhes sobre a motivação do ataque, mas descarta, desde já, a versão do tenente preso sobre um "ataque externo". De acordo com o delegado, um dos sobreviventes, o homem civil, contou à polícia que o PM foi o autor dos disparos.
"Nós vamos ter que aprofundar para ver o que aconteceu na casa de shows. Ouvir direito as vítimas, quando tiverem alta".
O veículo que o grupo estava, um voyage, era de uso da corporação, segundo a Associação de Cabos e Soldados e a Dehs. Os quatro oficiais estavam fora de serviço e o usaram para ir a uma festa. Em revista inicial, a perícia encontrou várias garrafas de cerveja e equipamentos policiais dentro do carro. Foi constatado, já, que nenhum disparo contra as vítimas veio de fora do carro.
O tenente preso em flagrante está detido e deve responder por duplo homicídio qualificado por motivo torpe e duplo homicídio tentado. Quem investiga o caso é a Polícia Civil, uma vez que o grupo não estava em horário de serviço.
As vítimas
O cabo Grasiano Monteiro Negreiros, que era lotado na 12ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) morreu no local. O sargento Edzandro Santos Louzada, da 18ª Cicom, morreu no SPA da Galiléia.
O Major Luerdenilson Lima de Paula, de 40 anos, foi atingido com um tiro e, segundo a Secretaria de Saúde (Susam), no momento, está consciente e orientado e passa por exames no Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio.
O civil, que foi atingido por um tiro na mão ao entrar em luta corporal com o suspeito, está em bservação, consciente e orientado.
Em nota, a Polícia Militar do Amazonas lamentou a morte dos policiais, mas não comentou o caso.
Velório
Conforme a PM, o cabo Grasiano será velado na Igreja Assembléia de Deus, na rua Vitória Régia, no Coroado. E o sargento Edizandro será velado na Funerária São Francisco, ao lado do T2, na Cachoeirinha.
Fonte: G1/AM