terça-feira, fevereiro 12, 2019

Empresário é preso suspeito de aplicar fraudes através de “compra premiada” no Piauí

O empresário Laércio Araújo de Sousa foi preso nesta segunda-feira (11), na cidade de Manaus, acusado de praticar o crime de estelionato no município de Esperantina. O mandado de prisão preventiva foi cumprido pela 17°DIP da Polícia Civil do Amazonas em uma operação que contou com o apoio do laboratório de inteligência cibernética do Ministério da Justiça.
De acordo com delegado Leonardo Alexandre Martins, titular da 13ª Delegacia de Policia Civil, as denúncias contra Laércio Araújo de Sousa iniciaram em 2015, quando a polícia abriu um inquérito para investigar o caso.
“No ano de 2015 centenas de vítimas registraram boletins de ocorrência, informando serem vítimas do crime de estelionato em modalidade conhecida como compra premiada. Laércio era o proprietário da empresa “Esperantina Prêmios” utilizada para aplicar as fraudes. Desde o início das investigações Laércio encontrava-se foragido da comarca de Esperantina”, afirma o delegado.
Ainda de acordo com o delegado, o prejuízo causado às vítimas chega a ser milionário. “Ainda não contabilizamos o prejuízo causado por Laércio, mas certamente é milionário. São várias pessoas, foram muitos boletins de ocorrência, cada consórcio era em torno de R$ 7 mil, e teve uma pessoa que investiu R$ 90 mil”, declara Leonardo Martins.
Laércio Araújo de Sousa era dono da empresa “Esperantina Prêmios”. Os clientes que pagaram o “consórcio de motocicletas” nunca receberam o produto, a empresa fechou as portas e o proprietário fugiu com o dinheiro dos clientes.
“O consórcio formava grupos de 48 participantes, que pagavam prestações mensais e concorriam em sorteios mensais. O cliente contemplado no sorteio e que tinha quitada a sua dívida deveria seria o veículo, mas não recebia. A vaga era preenchida por outro participante, dessa forma a empresa transferia todo o risco da operação para os clientes”, explica o delegado.
A “Esperantina Prêmios” nunca teve autorização para realizar esse tipo de transação, pois não possuía lastro financeiro que pudesse garantir a contemplação de todos os clientes.
O inquérito policial já foi relatado e enviado à justiça local em janeiro de 2019. Laércio Araújo de Sousa está preso em Manaus, mas será levado para Esperantina.
Com informações Portal Az