terça-feira, maio 07, 2019

No Piauí, operário morre após ser atingido por retroescavadeira

Um homem identificada como Antônio Filho, o Gregory, de 40 anos, morreu na tarde desta terça-feira (07/05), após ser atingido por uma retroescavadeira no aterro sanitário, localizado na zona Sul de Teresina. 
De acordo com o major Marcos, a PM foi acionada com a informação de que um operador do aterro sanitário de Teresina foi atropelado por uma máquina que estava trabalhando no local e o motorista se evadiu do local.
"Gregory coletando o lixo para reciclagem, a retroescavadeira estava tirando o lixo e botando no outro e na hora que voltou com o lixo bateu no rosto de Gregory, que morreu na hora", falou o catador de lixo Daniel Bezerra.
Daniel Bezerra falou que o motorista da retroescavadeira tentou sepultar o catador de lixo Antônio Filho, o Gregory, para que ninguém soubesse da morte, mas um amigo do catador viu e evitou que isso ocorresse.
Equipes do Corpo de Bombeiros e do Instituto de Medicina Legal -IML foram acionados para isolar a área e realizar a remoção do corpo.
Segundo informações, o homem estava andando próximo a uma retroescavadeira em serviço quando foi atingido pela máquina. Devido o forte impacto a viítima teve morte imediata. O segurança do aterro sanitário declarou que o acidente ocorreu por volta das 15h30 de terça-feira.
Nota Prefeitura
A Prefeitura de Teresina lamenta o acidente ocorrido nesta terça-feira,7, em que um catador de lixo foi atropelado por uma escavadeira dentro da área de disposição de resíduos e não resistiu aos ferimentos. Informa que determinou à empresa gestora do aterro municipal e à SEMCASPI - Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, para prestar todo o auxílio necessário a família do catador. O poder municipal esclarece ainda que já foram realizadas inúmeras tentativas de evitar a atuação dos catadores do aterro, o que foi alvo de várias manifestações por parte deles. Desde 2012 a Prefeitura incentivou a criação de uma cooperativa para retirá-los da área de descarrego, com a instalação de um galpão e todos os equipamentos necessários para a seleção do lixo. Já existiram três grupos de catadores que tentaram colocar a cooperativa para funcionar para evitar que os catadores trabalhem na área de descarga dos resíduos. No entanto, infelizmente, alguns catadores continuam com essa prática de risco.
Fonte: Meio Norte